O seu carro está liberando fumaça pelo escapamento? O consumo de óleo aumentou? Esses sinais podem indicar que o motor está fumando!

Possivelmente, você já ouviu algumas das seguintes expressões: “queimando óleo”, “passando óleo” e “motor fumando”. Elas se referem a um defeito no qual o lubrificante adentra os cilindros do motor e se mistura ao combustível e ao ar durante a combustão.

Esse tipo de avaria deixa os proprietários de veículos em alerta e com muitas dúvidas. Neste artigo, você descobrirá que defeito é esse, como ele pode ser evitado e o que fazer para resolver o problema. Confira!

O que significa carro fumando?

Entende-se por carro fumando um problema típico dos motores que percorreram muitos quilômetros (motor cansado) ou que, em decorrência de alguma falha no sistema de arrefecimento, funcionaram em altas temperaturas.

Em casos isolados, o defeito também pode ocorrer em razão do desgaste prematuro das principais peças do motor, sobretudo dos pistões.

Motor fumando é aquele que está queimando óleo e, consequentemente, liberando fumaça pelo escapamento. Nesses casos, o fluido que deveria apenas lubrificar os componentes internos do motor adentra a câmara de combustão e participa da queima de ar e combustível. Geralmente, isso acontece porque há folgas entre o pistão e o cilindro.

Vale lembrar que o funcionamento correto do motor requer que todas as peças estejam em perfeitas condições. Ranhuras, trincas ou desgaste excessivo de qualquer um de seus componentes podem causar grandes prejuízos.

Quais são o sinais de motor fumando?

Para verificar se o motor do veículo está “passando óleo” e realizar um diagnóstico acertado, alguns sinais devem ser observados. O primeiro se refere à emissão de ruídos.

Estalos, rangidos e batidas (popularmente descritas como “tec-tec” ou batida de pinos) no interior do motor podem indicar folga excessiva entre as peças, componentes defeituosos ou falta de lubrificação.

Geralmente, o barulho pode ser notado com mais facilidade assim que o veículo é ligado, já que nesse momento o motor está frio. À medida que ele esquenta, a circulação de óleo aumenta e as peças sofrem uma pequena dilatação em razão do calor.

Com isso, a tendência é que o ruído diminua. Embora os barulhos sejam bons indícios, outras questões devem ser observadas, dentre elas a perda de potência. Deve-se também averiguar a fuga de óleo no sistema de escapamento.

A presença excessiva de fuligens acumuladas no tubo de escape ou na ponteira indicam que algo não vai bem no motor. Para fazer o teste, utilize um par de luvas e insira o dedo na extremidade final do cano do escapamento. Então, verifique a quantidade e a cor da sujeira, pois, devido à condensação, é natural que o cano não esteja limpo.

A terceira e mais eficaz maneira de descobrir se o óleo está queimando é verificar se há emissão de fumaça durante a atividade do veículo. Após aquecido, o motor não deve produzir nenhum tipo de fumaça, a não ser no primeiro funcionamento do dia ou em baixas temperaturas externas. Isso porque o etanol e a gasolina podem conter água. Nesses casos, a fumaça é decorrente dos processos de condensação.

Entretanto, não é qualquer fumaça que indica a queima de óleo. Por isso, você precisa saber o que cada umas delas significa. Acompanhe quais são os tipos e suas características.

Fumaça branca

A fumaça branca saindo do escapamento pode revelar a presença de líquido do sistema de arrefecimento dentro dos cilindros. Comumente, isso ocorre quando há problema na junta do cabeçote do motor. A água (ou aditivo) atrapalha a combustão, contamina as velas e faz o sistema de resfriamento funcionar com a quantidade de líquido aquém do necessário.

Outro tipo de fumaça branca que nada tem a ver com motor fumando diz respeito ao vazamento de fluido do sistema de freio. Avarias no cilindro mestre ou servo de freio (hidrovácuo) podem injetar líquido no motor devido ao vácuo gerado.

Após diagnosticados, ambos defeitos devem ser imediatamente reparados para evitar o agravo do dano e o aumento dos custos de manutenção.

Fumaça preta

Esse tipo é produto da mistura rica de combustível, ou seja, excesso de etanol ou de gasolina na câmara de combustão. A fumaça é acompanhada por forte odor e resulta de defeitos nos componentes da injeção eletrônica (bicos injetores, sonda lambda, corpo de borboleta etc.) ou do carburador.

Fumaça azul

Cores azuladas ou acinzentadas refletem a queima de óleo. Entre as principais causas estão o desgaste dos anéis, retentores de válvulas, obstrução do respiro de óleo ou da ventilação, alta quilometragem e defeitos na turbina.

O consumo de óleo merece atenção especial, já que a queima pode reduzir rapidamente o nível do lubrificante no cárter e a vida útil do motor.

O que fazer para evitar o problema?

Mesmo com todos os cuidados necessários, o problema de motor fumando pode aparecer após o veículo alcançar determinada quilometragem. Ao longo do tempo, o atrito entre as peças acarreta folgas e quebras nos componentes.

Além disso, há um consumo aceitável de óleo previsto pelo fabricante. Portanto, a redução do nível é natural a cada 1.000 km.

Veja as principais formas de prevenção:

  • verificar constantemente o nível de óleo do motor e não ultrapassar as quantidades limites (mínimas e máximas);
  • utilizar o lubrificante especificado pela montadora;
  • realizar as trocas de óleo e do filtro conforme o manual (a cada 5 ou 10 mil km);
  • fazer a manutenção preventiva a cada 10 mil km;
  • providenciar a manutenção corretiva sempre que surgir algo atípico no motor, no sistema de arrefecimento ou injeção eletrônica;
  • evitar a sobrecarga do veículo para diminuir o desgaste do motor;
  • conduzir o automóvel respeitando o tempo das marchas e os giros do motor;
  • acompanhar o nível do líquido de arrefecimento;
  • não circular com o carro em situações de superaquecimento.

Como reparar o motor?

Uma vez constatado o problema, não há outra solução senão recorrer a uma oficina especializada. O tipo de reparo e os custos variam conforme a gravidade do dano. Em alguns casos, a troca da junta ou dos pistões pode resolver. Em outros, pode ser necessária uma retífica completa.

Quando esse for o caso, depois de aberto o motor, a câmara de combustão terá seu diâmetro aumentado, será brunida e novos pistões serão instalados. O conserto leva, em média, 25 horas de mão de obra. Para garantir a qualidade do reparo, evitar retrabalhos e novos gastos, é recomendada a troca de todos os componentes com algum dano.

Sempre que a retífica for necessária, o ideal é utilizar peças originais ou comercializadas pelos fornecedores das montadoras. Também avalie os custos envolvidos. Dependendo do gasto com a manutenção, pode ser mais interessante adquirir um motor novo ou vender o veículo no estado em que ele se encontra.

Não restam dúvidas sobre o que é, como evitar e o que fazer com o motor fumando, não é mesmo? Lembre-se de que negligenciar os cuidados poderá danificar outras peças, como engrenagens, válvulas e correia dentada. Quanto maior for a quilometragem percorrida, maior será o prejuízo. Portanto, faça a manutenção no momento certo.

Quer saber mais sobre motores automotivos? Descubra agora como decidir entre a gasolina comum e a aditivada!