Aprenda como sair do vermelho

>>>Aprenda como sair do vermelho
Cartão de Crédito, Financeiro

Por |2015-07-15T09:00:30+00:0015 / jul / 2015|
Aprenda como sair do vermelho7 min read
Avalie esse post

Não é novidade para ninguém que o nosso país esta passando por um período difícil na economia e este não é só um problema do governo, pois reflete diretamente nas nossas vidas. Um estudo realizado pelo Banco Central mostra que as famílias brasileiras nunca estiveram tão endividadas nos últimos 10 anos como estão agora. Diante desse cenário queremos te ajudar com dicas e ações práticas de como sair do vermelho e quitar as dívidas!

Baseado na pesquisa do Banco Central, nós temos quase 50% da nossa renda já comprometida com dívidas, ou seja, fica bastante difícil – pra não falar impossível – chegar ao final do mês com a conta positiva. Já que os salários não aumentam na proporção dos impostos é importante tentar colocar as contas em dia e dominar o orçamento familiar para fazer o salário durar todo o mês.

 

Como sair do vermelho?

 

planejamento financeiro

 

Certamente não é nenhuma novidade a importância de ter um planejamento financeiro, difícil mesmo é colocar em prática, porém, é colocando no papel que você conseguirá visualizar todo o cenário a curto, médio e até a longo prazo. Conheça qual é o seu cenário financeiro atual, as suas dívidas, os juros e a duração de cada uma delas.

 

O Idec – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor – desenvolveu uma planilha para gerir o orçamento doméstico. Aqui você pode baixá-la.

 

Depois do planejamento feito e em dia, vamos para as ações práticas de como sair do vermelho:

 

Por quais dívidas começar?

 

dívidas juros altos

Se você já se comprometeu com algumas dívidas, agora é o momento de reavaliar as taxas de juros e condições de pagamentos. Comece pagando aquelas que têm os juros mais elevados como, por exemplo, o cheque especial e o rotativo do cartão de crédito. Nos posts Será que vale a pena usar o Cheque Especial e 5 dicas para renegociar a dívida do cartão de crédito explicamos exatamente quais são as taxas de juros de cada uma delas e como sair do vermelho negociando a sua dívida.  Foque em pagar uma de cada vez e sempre partindo das que possuem juros mais altos até chegar naquelas de baixo custo financeiro. Ir pagando todas as dívidas de forma parcelada somente irá adiar o problema.

 

Negocie as dívidas

 

negociar dívidas

Como foi dito, priorize aquelas que têm maiores taxas administrativas e não tenha medo de negociá-las. Para o credor é muito mais interessante que você pague, mesmo que parcelas menores, do que perder o cliente para sempre ou ter que esperar por muitos anos para receber. Por isto, exponha a quem você deve a sua situação; informe as suas possibilidades de pagamento e renegocie os prazos e juros.

 

Se você tem dívidas de juros muito altos, uma solução de como sair do vermelho é trocá-las por um empréstimo pessoal, onde as prestações são fixas e com custo financeiro mais baixo. Leia mais Dicas para quitar as dívidas e limpar o nome   no nosso blog!

 

Troque o credor

 

juros mais baixos

Outra possibilidade de como sair do vermelho é levar todas as suas dívidas para outro banco que apresente melhores condições de pagamento e taxas de juros mais baixas do que as que você já tinha. Para isto, antes de tomar qualquer decisão, compare bastante as possibilidades que cada instituição pode te oferecer e somente se comprometa com um valor que você sabe que consegue pagar. Se você aceitar uma parcela que não cabe no seu orçamento, ao invés de estar resolvendo um problema estará contraindo um novo.

 

Corte os gastos

 

cortar gastos

Como quitar as dívidas ganhando pouco? A partir de agora você precisa ter foco para sair do vermelho e para que isto aconteça o quanto antes, você deve parar de contrair novas dívidas. Não compre mais nada parcelado e deixe os cartões de crédito e cheques em casa, porque assim você consegue controlar as compras por impulso.

 

E se eu ficar desempregado?

 

A falta de emprego pode acontecer mas ter um planejamento fará com que você passe pela situação de uma forma mais tranquila. O dinheiro do acerto e o saque do FGTS – Fundo de Garantia do Tempo de Serviço – devem ser utilizados para quitar dívidas e amortizar parcelas, por exemplo. Não veja este dinheiro como um bônus para gastar com compras ou viagens mas faça dele uma poupança, afinal, você não sabe por quanto tempo estará fora do mercado de trabalho.

 

No dia a dia

 

economizar dinheiro

Pequenas mudanças em nossa rotina podem resultar em uma grande economia no final do mês mas é importante contar com o esforço de toda a família. De nada adianta somente você se esforçar enquanto os outros não fazem a sua parte, precisa ser um esforço coletivo. Aqui vão algumas dicas para reduzir as despesas e quitar as dívidas:

 

– Apague as luzes quando não forem necessárias. As contas de luz tiveram altos reajustes este ano, então toda é economia é válida;

 

– Leve comida para o trabalho ou almoce em casa. Além de economizar, são práticas muito mais saudáveis;

 

– Troque a academia pelas praças públicas;

 

– Reúna os amigos em casa mais vezes;

 

– Corte os supérfluos, ou seja, aquilo que você não precisa;

 

– Aprenda a juntar dinheiro ao invés de comprar parcelado. Além de não ter dívidas, comprando à vista você ainda pode conseguir um bom desconto;

 

– Não se insira em um padrão de vida que não cabe no seu bolso, isso fará com que você se frustre e contraia dívidas desnecessárias;

 

Dicas para não cair novamente em dívidas:

 

dicas para nao ter dívidas

– Não se comprometa com mais do que você consegue pagar. Segundo especialistas, o ideal para quitar as dívidas e sair do vermelho é ter no máximo 30% da renda líquida mensal com prestações. Para ficar mais claro: Imagine uma família com um  salário bruto de R$1.000,00. Sem contar com os possíveis descontos de alimentação e vale-transporte, seu salário líquido é R$920,00. A recomendação é que essa família não tenha mais do que R$276,00 de salário comprometido em parcelas e prestações.

 

– Anote tudo o que você gasta, desde as contas fixas até o pãozinho na padaria; assim você conseguirá ver exatamente para onde está indo seu dinheiro e poderá administrá-lo mais facilmente. Existem vários aplicativos de celular que podem te ajudar nesse controle como o Guia Bolso; Organizze; Money Lover; Gastos diários, dentre vários outros.

 

– Faça uma poupança! Tente reservar pelo menos 10% do seu salário para o futuro e situações que não podemos prever, como uma doença ou desemprego. No texto Quanto rende a poupança a gente te explica a rentabilidade em números.

 

Tudo tem seu lado positivo. Veja o período de recessão como uma oportunidade de aprender a cuidar melhor do seu dinheiro e adotar as novas atitudes como rotina, já que boas práticas devem permanecer sempre. E uma vez com as dívidas dribladas mantenha o orçamento e planejamento sempre em dia para que o saldo seja sempre azul.

 

 

Inscreva-se em nossa newsletter

Talvez você também goste