O seguro residencial,  assim como o seguro auto, tem a finalidade de proteger o seu imóvel em diversas situações estabelecidas em contrato.

Mediante pagamento, o seu patrimônio conta com a proteção e cobertura contra incêndio, explosões, queda de raios, roubo, entre outras.

Mas, se você ainda tem dúvidas sobre a importância do seguro residencial e se vale a pena contratá-lo, não pode deixar de ler este artigo. Ao final do texto, você também confere dicas para fazer a melhor escolha e manter o seu lar seguro.

Como funciona o seguro residencial

O funcionamento de um seguro residencial é similar ao do seguro para carros.

Você paga mensalmente um valor a fim de garantir a cobertura de danos e prejuízos que podem acontecer à sua casa ou apartamento.

O valor do prêmio é calculado com base na soma das coberturas contratadas e permite ao contratante personalizar o seguro conforme suas necessidades.

Há dois tipos de coberturas em um seguro residencial: a básica e a adicional.

Cobertura básica

O seguro residencial básico garante a cobertura do imóvel em casos de danos causados por incêndio, explosões e quedas de raio. Mas, a partir do seguro básico, é possível solicitar outras coberturas adicionais, como vamos ver a seguir.

Cobertura adicional

Você pode contratar coberturas adicionais para garantir maior proteção à sua casa e também à sua família. Com ela seu imóvel estará protegido de outros riscos, como:

  • Roubos e furtos;
  • Curto-circuito e danos elétricos;
  • Queda de aeronaves e impacto de veículos;
  • Desmoronamento total ou parcial;
  • Chuva de granizo;
  • Vendavais;
  • Quebra de vidros;
  • Cobertura de perda ou pagamento de aluguel a terceiros – quando o imóvel alugado não pode permanecer ocupado devido a algum risco coberto pelo seguro. Ela é indicada tanto para o inquilino quanto para o proprietário do imóvel.
  • Responsabilidade civil familiar – garante a indenização em caso de acidente de trabalho, morte ou invalidez de empregados domésticos durante o desempenho de suas atividades;  ou a indenização por danos involuntários, materiais ou corporais, causados a terceiros por membros da sua família, desde que listados em contrato.

Alguns seguros oferecem também assistência residencial 24 horas.
Nessa assistência estão inclusos serviços de chaveiro, encanador, eletricista ou qualquer outro profissional para realizar ajustes ou pequenos consertos rapidamente.

É importante que você saiba que a lista de coberturas varia de acordo com as seguradoras, portanto, é fundamental estar atento às regras e condições descritas na apólice.

Preço do seguro residencial

De acordo com uma pesquisa realizada pela Proteste – Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, o seguro residencial é um dos mais baratos do mercado e possui o maior índice de aprovação entre os consumidores.

Para compor o valor desse tipo de seguro, as companhias levam em consideração características como, o tipo do imóvel, os bens que estão nele, a localização, o preço do metro quadrado, etc.

O valor de cobertura costuma ser de aproximadamente 0,4% do valor total da reconstrução do imóvel e não o valor do imóvel propriamente dito.

Vale ressaltar que o valor de reconstrução é diferente do valor de avaliação do bem, em geral, mais alto.

Sendo assim, para receber a indenização, o segurado deve informar esse valor com precisão.

O que fazer em caso de sinistro do imóvel?

A seguradora tem a obrigação de cobrir tudo o que está descrito no contrato. 

Por isso, em caso de sinistro, você deve entrar em contato com a sua seguradora pela Central de Atendimento para informar o ocorrido.

É ela quem realizará todos os procedimentos e será a responsável pelo envio de um técnico especializado em sua residência para avaliar os danos.

O que é a franquia do seguro residencial?

Algumas seguradoras trabalham com franquia no seguro residencial da mesma forma como acontece no seguro auto.

A franquia é um pequeno percentual que representa a parte do prejuízo que deverá ser pago pelo segurado em casos de sinistro e deve ser especificada na apólice

No entanto, não existe cobrança de franquia quando a cobertura do seguro residencial é básica. Para os demais casos, é necessário estar atento ao contrato.

Vale a pena contratar seguro residencial?

Um imóvel, seja ele próprio ou alugado, é uma conquista e por isso deve ser protegido.

Acidentes acontecem e imagine o tamanho do prejuízo se a sua casa for atingida por algum incêndio ou roubada durante o período em que você estiver longe de casa, viajando, por exemplo.

Sem dúvida, reformar o imóvel danificado ou repor os bens roubados sairá muito mais caro.

Portanto, contratar um seguro residencial é uma forma de se prevenir contra incidentes que podem trazer grandes prejuízos e comprometer inteiramente o seu patrimônio.

Mas, o seguro residencial só é vantajoso quando as coberturas contratadas atendem às necessidades do imóvel.

No caso de um imóvel alugado, há imobiliárias ou locatários que exigem a contratação do seguro residencial pelo inquilino, mas, mesmo que não seja obrigatório, o inquilino pode contratar o seguro e optar por segurar apenas os bens que estão no imóvel.

Dicas para escolher e contratar o melhor seguro residencial para o seu imóvel

1) Conheça sua necessidades

O seguro residencial oferece diversas coberturas, mas como você leu mais acima, ele só será vantajoso se atender às suas necessidades.

Faça essa análise e leve em conta a localização do seu imóvel. Quais são os possíveis riscos ao qual ele é exposto: alagamentos, incêndios, roubos? Esse é o primeiro passo para você fazer a escolha do seguro residencial mais adequado.

2) Analise as coberturas

Além das coberturas básicas, é possível personalizar o seu seguro e contratar algumas coberturas adicionais que podem ser importantes para o seu imóvel.

Por exemplo, se você mora em um bairro com alto índice de roubos e furtos, é possível contratar a cobertura adicional de Roubo/Furto qualificado à sua cobertura básica.

Possui empregados domésticos trabalhando em sua residência? Agregar a cobertura adicional de Responsabilidade Civil Empregados Domésticos pode ser uma boa opção.

3) Leia atentamente a apólice do seu seguro

Leia com atenção o contrato do seguro e tire todas as suas dúvidas antes da contratação.

Saiba exatamente aquilo que você está contratando, os valores indenizatórios, o prazo limite para o pagamento e franquia, se houver.

4) Consulte a reputação da seguradora

Ao contratar o seu seguro residencial, é importante considerar uma empresa sólida e, sobretudo, que seja regularizada pela SUSEP.

Pesquisar sobre a companhia e sua reputação no mercado é muito fundamental para evitar surpresas desagradáveis durante a vigência do contrato.

Considere também o custo-benefício da seguradora, mas não esqueça de levar em conta tudo o que você leu até aqui.

Com essas informações em mãos, você facilmente vai conseguir contratar o seguro residencial que se encaixe ao perfil do seu lar.

Acesse o simulador da Porto Seguro e faça uma cotação sem compromisso para manter o seu imóvel e os seus bens protegidos.

Para essas e outras dicas, acompanhe o blog da Compara.