Dúvidas sobre como calcular pedágio? Confira como fazer esse orçamento e saiba por que o pagamento da tarifa é importante!

Ao colocar o carro na estrada, é essencial estimar os gastos do seu trajeto. Verificar os custos é a melhor maneira de manter a saúde financeira em dia, evitar surpresas desagradáveis e desfrutar de todos os benefícios da viagem. Dedicar-se a esse tipo de estimativa permite, inclusive, selecionar as rotas a partir da relação custo-benefício.

Para fazer isso, é necessário considerar mais que despesas com alimentação, estadia, visitas, combustível e manutenção. Trafegar por algumas estradas brasileiras requer o pagamento de algumas quantias e é preciso levá-las em consideração. Confira como calcular pedágio!

Como calcular pedágio?

O primeiro passo para calcular pedágio é definir os destinos que serão visitados. Feito isso, basta descobrir quantas serão as paradas obrigatórias e qual o valor de cada uma delas. Lembre-se que o montante encontrado corresponde a apenas 50% do valor. O cálculo correto deve considerar a ida e a volta.

Quanto maior o trajeto da viagem maiores os gastos com pedágio? Não necessariamente. Existem grandes extensões que não são cobertas pelas concessionárias em algumas regiões. Em outras, é possível encontrar uma barreira a cada 100 quilômetros.

O ideal para calcular pedágio é analisar qual trecho será percorrido, bem como as possibilidades de alteração da rota em função do desejo de visitar outros lugares. Afinal, não é incomum explorar ao máximo as redondezas do destino. Com tantas variáveis, como descobrir quais serão os gastos? Calma, existem ferramentas específicas para isso!

Quais ferramentas utilizar para calcular pedágio?

A maneira mais prática de calcular pedágio é recorrer a alguns sites e aplicativos. Eles foram desenvolvidos especialmente para auxiliar o motorista nessa tarefa. Geralmente, além do valor do pedágio eles disponibilizam informações relativas a gasto com combustível, tempo de viagem, melhor rota etc.

Nas viagens internacionais pode ser necessário recorrer a plataformas do país de destino para descobrir quanto custará circular por lá. Para calcular esse valor basta acessar alguns sites e inserir os dados solicitados (local de partida, destino, consumo médio de combustível e preferência de rota). Veja os principais:

Não se esqueça que o pagamento dos pedágios deve ser realizado em dinheiro. Portanto, viajar apenas com cartões de crédito e débito não é uma boa ideia. O melhor é reservar alguma quantia e saber quanto custará cada parada, já que no Brasil os valores giram entre R$ 5 e R$ 25.

Qual a importância do pagamento?

As concessionárias são responsáveis pelo auxílio aos motoristas, principalmente nos casos de acidentes e problemas mecânicos dos veículos. Elas também têm o dever de realizar melhorias, ampliar e conservar as rodovias e fiscalizar o tráfego. Isso tudo gera um custo que é repassado para as pessoas que circulam no trecho sob responsabilidade da prestadora de serviços.

Os valores são fixados de acordo com o tipo de veículo (carro, moto, caminhão), mas não é a concessionária que estabelece o preço da tarifa. Na verdade, os valores e reajustes relativos a cada região são estabelecidos a partir dos índices da Fundação Getúlio Vargas e das prerrogativas do Estado por meio da Secretaria de Transportes.

Tal cálculo determina uma base tarifária por quilômetro de acordo com o tipo de rodovia, trecho de cobertura, fluxo de tráfego, dentre outros fatores. Agora que você já sabe como o cálculo é feito, veja por que o pagamento é tão importante.

O não pagamento do pedágio configura infração grave de trânsito. O motorista que transpor a barreira sem autorização pode ser penalizado com multa (R$195,23) e perda de 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação, conforme determina o artigo 209 do Código de Trânsito Brasileiro.

A aplicação da penalidade depende do flagrante policial, mas isso não quer dizer que é possível “furar” um pedágio sem consequências. O transgressor corre o risco de ser acionado na justiça e responder à Justiça Federal por sua prática, já que compete a essa instância as infrações praticadas contra o patrimônio da União.

Agora que você já sabe como calcular pedágio e quais ferramentas usar para isso, que tal seguir nossa página nas redes sociais para ficar por dentro de outros conteúdos? Estamos no Facebook, LinkedIn e Twitter!

[/fusion_text][/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]]]>