Seguro Auto

Por |2018-11-14T08:44:54+00:0029 / maio / 2015|
Diferença no preço do seguro de carro pode chegar a 50%3 min read
Avalie esse post

De acordo com a CNSeg, responsável por representar as empresas de seguro do país, foi vendido mais de R$ 25 bilhões em seguro de carro até outubro de 2014, última contagem finalizada. Mas, mesmo que algumas pessoas tenham o carro de mesmo ano e modelo, isso não significa que as apólices terão o mesmo preço. Na verdade, a diferença entre preços, que pode subir em 2015, pode ficar entre 20% a 50%.

O seguro do auto, que é um dos seguros mais populares desse setor, varia de acordo com diversos fatores, como o perfil do motorista. E nem tudo o que é avaliado na hora de fechar o valor está sob controle do segurado. O índice de criminalidade do bairro, por exemplo, pode aumentar consideravelmente o valor do seguro.

Entre os fatores que contam na precificação do seguro, estão:

A idade é um fator que contribui para o aumento do valor do seguro automotivo. Motoristas com idade entre 18 e 24 anos costumam pagar mais, e os mais experientes, menos.

Os sinistros de carros dirigidos por mulheres costumam ser mais simples e baratos, ainda que sejam mais frequentes. Além disso, a diferença de preço entre os sexos se torna cada vez menor na menina em que a idade avança.

Quem dirige maiores percursos no dia a dia também tende a pagar mais. Pois as distâncias percorridas maiores acabam desgastando mais o veículo e deixando-o mais vulnerável.

A precificação também varia de acordo com a localização da moradia e trabalho. Quem mora em locais mais perigosos paga mais, assim como quem mora em cidades maiores. A existência de garagem tende a diminuir o preço.

O preço também varia de acordo com os bônus. Quem é segurado com a mesma empresa há anos e nunca teve sinistro geralmente ganha descontos na apólice.

E, claro, a variação entre preços também depende do tipo de cobertura do seguro. O tipo de cobertura, que geralmente varia entre a básica e compreensiva, é um dos fatores mais importantes para a variação de preço.

E vale lembrar: a cobertura básica vale para acidentes, roubo e furto, enquanto a compreensiva abrange também danos provocados pela natureza, como raios, alagamentos e quedas de árvore.

Inscreva-se em nossa newsletter

Talvez você também goste