5 dicas fundamentais para não se endividar durante o ano

>>>5 dicas fundamentais para não se endividar durante o ano
Crédito Pessoal, Financeiro

Por |2018-09-18T12:50:09+00:0015 / mar / 2018|
5 dicas fundamentais para não se endividar durante o ano5 min read
Avalie esse post

Quem não gostaria de se ver livre das dívidas? O problema é que com as incertezas da nossa economia sempre há o risco de ficar no vermelho. Mas, a boa notícia é que você pode evitar que isso aconteça, com planejamento e seguindo algumas dicas que separamos neste post de como não se endividar durante o ano.

É possível controlar e até mesmo evitar certas dívidas, principalmente aquelas que envolvem juros extremamente altos. Além disso, toda dívida que não é paga em dia geralmente recebe acréscimos: as multas.

Bem, vamos ajudar você neste post para evitar que isso aconteça. Leia as dicas a seguir e veja como não se endividar durante o ano!

1. Como não se endividar? Não gaste mais do que recebe!

O primeiro passo de como não se endividar é aprender a controlar os gastos de acordo com nosso salário. Embora seja uma regra simples, são pouquíssimas as pessoas que conseguem segui-la. Geralmente, há um descontrole e os consumidores acabam gastando mais dinheiro durante o mês do que recebem no mesmo período.

Esse é um erro fatal que reprovaria qualquer pessoa em um exame prático de educação financeira. Uma pessoa que ganha R$ 2.000,00 por mês, por exemplo, não pode gastar R$ 3.000,00. Esse descontrole resulta em dívidas que fogem pouco a pouco do controle do consumidor, criando uma bola de neve que só tende a aumentar.

É preciso encarar sua própria realidade e ajustar o seu padrão de vida às suas condições financeiras.

2. Crie uma planilha de controle de gastos

Uma forma de evitar gastar mais do que recebe é fazer uma planilha para controlar seus gastos. Há, inclusive, modelos de planilhas financeiras disponíveis gratuitamente na internet. Mas, se você preferir, pode usar um aplicativo específico.

Na planilha, é preciso registrar todas as despesas e receitas, separando-as por categorias bem definidas. Assim, a pessoa saberá de onde vem o dinheiro e para onde ele vai. Existirão gastos eventuais, que também precisam ser lançados. Da mesma forma, ganhos esporádicos devem ser registrados.

Não importa se o gasto é aparentemente insignificante, ele precisa ser registrado na planilha.

3. Evite gastos supérfluos

Acabe de vez com os gastos supérfluos, aqueles que só servem para onerar as finanças e aumentar suas dívidas. Como não se endividar se você vive gastando com roupas e sapatos que não usa, livros que não lê, bijuterias e joias, compras desnecessárias?

Corte definitivamente despesas inúteis da sua planilha.

4. Faça um planejamento financeiro

Quem deseja organizar suas contas deve fazer um planejamento financeiro. É claro que existem coisas imprevisíveis que fogem ao nosso controle, mas a situação pode ser muito pior se não planejarmos.

A Bíblia conta a história de um homem que começou a construir uma torre e depois deixou-a sem terminar por falta de dinheiro. Isso é falta de planejamento financeiro. Mas alguém poderia alegar: e se ele tivesse planejado, guardado dinheiro e, por algum motivo, viesse a adoecer e falecer?

Nesse caso, ocorreu um imprevisto. Talvez seus familiares pudessem dar continuidade à obra ou simplesmente deixá-la de lado. O importante é que o planejamento contemple todas as possibilidades, ou seja, gerencie os riscos.

O planejamento financeiro envolve planos de ação, economia de dinheiro (poupança) e um correto direcionamento de recursos (além do gerenciamento de riscos).

5. Tome cuidado com os empréstimos

Já tentou pegar uma fruta em um galho muito alto da árvore? Seu braço não alcança, não é verdade?

Considerando que você não saiba subir em árvores, poderá pegar uma vara bem comprida para tentar tirar a fruta com ela. Nesse caso, você está fazendo uso de um artifício para “tornar” seu braço mais comprido. No entanto, a vara não faz parte de seu corpo.

No mundo das finanças e investimentos, dá-se a essa estratégia o nome de “alavancagem”. É uma forma de você alcançar seus objetivos usando alguma coisa que não é sua.

Quando você faz um empréstimo pessoal para reformar a casa, comprar um carro ou imóvel, realizar uma festa, ou coisas do tipo, está usando um dinheiro que não é seu — será preciso devolvê-lo com juros! Pense nisso antes de fazer empréstimos indiscriminados. Aqui no blog a gente explica como usar o nosso comprador escolher o melhor crédito pessoal analisar juros, taxas e fazer a melhor opção.

Agora que você já sabe como não se endividar, é preciso colocar tudo em prática até se tornar capaz de controlar seus gastos.

Gostou do texto que acabou de ler? Aproveite para ler nosso post sobre como controlar mais o uso do cartão de crédito!

Inscreva-se em nossa newsletter

Talvez você também goste