Seguro Auto

Por |2018-11-29T16:25:43+00:0028 / nov / 2018|
Refinanciamento de veículos é vantajoso?7 min read
Avalie esse post

Como obter crédito com menor taxa de juros? Considere o refinanciamento de veículos e estude essa possibilidade!

Quando surge a necessidade de reorganizar as finanças colocamos a criatividade para trabalhar a fim de descobrir a melhor solução. Nesse momento, surgem possibilidades e dúvidas. É preciso permanecer atento para não cair em armadilhas e colocar em risco os futuros investimentos e o patrimônio adquirido.

Alguns recorrem ao empréstimo pessoal e outros ao cheque especial. Existe também o refinanciamento de veículos. Já considerou essa alternativa? Entenda melhor!

O que é o refinanciamento de veículos?

Basicamente, é uma forma obtenção de crédito pessoal na qual você oferece o veículo como garantia material do pagamento da dívida obtida. Ou seja, você garante a realização do pagamento por meio de um bem. Nessa modalidade de aquisição de crédito, os juros geralmente são inferiores àqueles dos empréstimos pessoais. Isso acontece porque os riscos do credor são reduzidos, uma vez que diante do não pagamento a propriedade do carro passará a ser dele.

No empréstimo com garantia de veículos, o bem passa por um processo de alienação que chega ao final assim que as parcelas são quitadas. Diferentemente do financiamento que ocorre na compra do carro, a alienação não constará no documento e, normalmente, o refinanciamento é menos burocrático e mais rápido do que outros empréstimos.

Além da obtenção de crédito, é possível fazer o refinanciamento para reduzir as taxas de juros do próprio parcelamento do veículo — caso ele ainda não tenha sido quitado. Nesse caso, é preciso calcular ainda melhor os valores e as condições de pagamento. Agora que você já sabe o que é, entenda melhor como funciona.

Como funciona o refinanciamento de carro?

Existem dois tipos de refinanciamento: o de automóvel quitado e o de veículo financiado (ambos devem estar devidamente licenciados). Quando o veículo não tem nenhum tipo de débito, a quantia disponibilizada será calculada a partir da tabela fipe e do estado de conservação. Isso quer dizer que quanto mais novo, maior o crédito. As taxas concedidas podem variar entre 70% e 90% do valor total do bem a ser alienado.

No caso de veículo já alienado, o procedimento pode ser um pouco mais burocrático e, por vezes, negado por alguns credores. Quando o carro ainda está financiado, o crédito ofertado é baseado no montante total das parcelas pagas. Há consenso de que quanto menor for o valor quitado, mais difícil será conseguir o refinanciamento de veículos e menor será o capital cedido pela empresa. Usualmente, a dívida pode ser quitada no prazo médio de até 48 meses.

As financeiras podem adotar políticas específicas para fazer o refinanciamento. Carros com idade entre 10 e 15 anos podem não ser aceitos. Caso o ano de fabricação ultrapasse esse teto, dificilmente você conseguirá usá-lo em uma negociação. Cabe ressaltar que antes do arremate do negócio, os dados do proprietário do veículo são analisados por um banco. Na ocasião, se verifica a reputação do cliente junto aos serviços de proteção ao crédito (SPC, SERASA, CCF etc.).

Como conseguir o empréstimo com garantia de veículo?

O primeiro passo é escolher o banco ou a financeira. Pesquise bastante e opte por empresas reconhecidas pelo mercado e com melhor oferta. Qualquer tipo de negociação envolve uma margem de risco, portanto, tenha cuidado. No site da ComparaOnline  você pode comparar ofertas de crédito pessoal com garantia de veículo das maiores financeiras e escolher a opção que melhor lhe convém. Feito isso, será necessário apresentar os seguintes documentos do requerente:

  • CPF e RG;
  • comprovante de residência;
  • certidão de casamento, se for o caso;
  • Carteira Nacional de Habilitação;
  • Certificado de Registro do Veículo (CRV);
  • Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV);
  • comprovante de renda.

No momento da transação, fique atento ao valor de avaliação do veículo, aos juros e leia atentamente todas as cláusulas do contrato. O diálogo é a chave do sucesso! Barganhe a melhor solução para você e não se esqueça que o “resgate” do seu patrimônio estará condicionado à quitação da dívida.

Vale a pena refinanciar o veículo?

Não há uma receita sobre o refinanciamento de veículos. Cada caso precisa ser analisado cuidadosamente. Entretanto, para aqueles que precisam de crédito imediato, essa pode ser uma solução atrativa. O principal motivo é a taxa de juros inferior a outras modalidades: por exemplo, taxas dos empréstimos consignados, rotativos, pessoais, cheques especiais e cartões de crédito.

Quando a questão central é reduzir os juros que já estão sendo pagos, possivelmente essa modalidade também é viável. Substituir uma taxa de juros de 10% por uma inferior a 4% ao mês, certamente é um bom negócio. Vale lembrar que a taxa de juros depende de fatores como ano, modelo e quitação do veículo.

Para definir se vale a pena, coloque todas as contas na ponta do lápis e avalie suas condições de saldar a dívida para não perder o bem. Antes de fechar o negócio, dedique-se aos estudos do orçamento e se questione quanto a validade da operação. Seja cauteloso quanto ao uso do crédito e solicite apenas o necessário, já que não é preciso refinanciar o valor total do carro.

Quanto menor for a dívida, menores serão os juros, o valor e número de prestações. Consequentemente, mais fácil será resolver a situação e equilibrar as finanças. O refinanciamento de veículos é semelhante ao Crédito Direto ao Consumidor e isso significa que o pagamento das parcelas poderá ser adiantado para amortizar os dividendos e alcançar descontos.

O refinanciamento de veículos apresenta algumas vantagens: o veículo permanece em nome do proprietário enquanto durar o empréstimo, os prazos de pagamentos podem ser extensos e o dinheiro poderá ser utilizado como você quiser. Além do pagamento de débitos, tal modalidade de crediário também costuma ser utilizada por aqueles que desejam montar o seu próprio negócio ou realizar investimentos que demandam um capital não disponível a priori.

Algumas financeiras aceitam fornecer recursos para aqueles que estão “negativados”, mas, certamente, junto com o aumento do risco virá o acréscimo na taxa de juros. Nesses casos, parece ainda mais importante ressaltar que ceder um veículo como forma de pagamento deve ser uma solução temporária. A saúde financeira depende da gestão adequada dos recursos.

Agora que você está por dentro do assunto e já sabe o que é, onde fazer e como funciona a obtenção de crédito por meio de automóveis, basta buscar o melhor negócio e refazer o planejamento. Caso necessário, procure o auxílio de um profissional da área ou recorra às planilhas e aplicativos disponíveis.

Pronto! Agora, você já sabe tudo o que precisa sobre o refinanciamento de veículos. Para uma ajudinha extra no controle dos gastos, confira outro artigo do nosso blog. Basta um clique!

Inscreva-se em nossa newsletter

Talvez você também goste