Saiba quais são as regras para entrar na Argentina

Se você planeja sua viagem, é essencial conhecer as regras para entrar na Argentina e evitar imprevistos. Saiba quais são elas aqui, na ComparaOnline!

Elisa Matos
Elisa Matos
31 de outubro 20223 min de leitura
 regras para entrar na Argentina

Diferentemente dos países da Europa, os vizinhos do território brasileiro não possuem tantas exigências aos viajantes. Por isso, as regras para entrar na Argentina não são extensas e facilitam os passeios de pessoas de diferentes nacionalidades.

Índice


    1. 1. Como é a entrada na Argentina?
    1. 2. Documentação essencial para a viagem
    1. 3. Tenha uma viagem segura com a ComparaOnline!

Procurando por um seguro viagem?

Compare ofertas das maiores empresas do mercado.

Cotar meu seguro

Entretanto, por mais que não haja muitas exigências para entrar na Argentina, é essencial conhecê-las para montar um planejamento de viagem completo. Afinal, é melhor estar preparado do que ter imprevistos com as documentações e afetar o andamento das férias. 

Como é a entrada na Argentina?

Durante a pandemia da COVID-19, todos os países definiram medidas sanitárias para a segurança e a contenção do vírus. Até o início da flexibilização das medidas de isolamento social e da aplicação da vacina, era obrigatório apresentar o comprovante de vacinação completo ou o teste PCR negativo.

Atualmente, o governo não inclui tais medidas como regras para entrar na Argentina. Portanto, as proteções para a saúde e o convívio social são individuais, tanto a vacina quanto o uso de máscaras em ambientes comuns, como no aeroporto e no transporte público. Por isso, a entrada e a saída no país estão mais flexíveis. 

De forma facilitada, a entrada pode ser feita por via terrestre ou aérea, sem a necessidade de visto para brasileiros. No caso da viagem para Argentina voltada para o turismo, o prazo de estadia máxima é de 90 dias. Esse período pode ser diferente mediante avaliação do serviço de imigração no ingresso ao país.

Caso seja necessário aumentar o prazo, é possível solicitar uma prorrogação na Direção Nacional de Migrações da Argentina. Para isso, a data não pode ter expirado, evitando a multa de permanência irregular e o retorno imediato ao país de origem. 

As regras para entrar na Argentina são diferentes quando o intuito da viagem é para estudo ou trabalho, já que a permanência é maior que três meses. Nesse caso, o viajante precisa solicitar um visto de residência temporária no consulado mediante apresentação dos documentos requeridos, como a carta de aceite da instituição. 

Menores de idade

Na ausência de ambos os pais, o menor de idade precisa apresentar uma autorização de viagem emitida em um consulado. Caso as assinaturas dos responsáveis sejam feitas diante de uma autoridade consular, não há necessidade de reconhecer o documento por autenticidade no cartório. 

Porém, caso a viagem seja feita com apenas um dos progenitores, é obrigatório demonstrar a aprovação do outro por meio de um documento também autenticado. Os modelos de autorização para menores acompanhados ou desacompanhados estão disponíveis no site do Ministério das Relações Exteriores.

Entrada de carro

São exigidos alguns documentos para entrar na Argentina de carro ou moto, como a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) válida e o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV) em nome do viajante. 

Para veículos alugados ou comprados em nome de terceiros, é necessário portar a Autorização para Circulação no Mercosul (ACM) registrada anteriormente em cartório. Em todos os casos, também deve ser apresentado o comprovante do Seguro Carta Verde, obrigatório para percorrer as vias dos países do Mercosul. 

Documentação essencial para a viagem

As regras para entrar na Argentina são simplificadas principalmente pela documentação exigida. É comum que muitos viajantes se perguntem se precisa de passaporte para Argentina, mas ele não é obrigatório, pois o documento de identidade nacional é aceito pelas autoridades migratórias. 

Isso se aplica aos brasileiros, desde que apresentem um documento emitido há menos de dez anos (período limite para cada via) com uma foto que facilite a identificação. Vale lembrar que o estado de conservação é um dos fatores que pode dificultar a leitura das informações e pode atrapalhar a entrada no país.

Além do RG ou do passaporte na validade, o visto é solicitado para viagens superiores a 90 dias. Independentemente do período de permanência, não é mais necessário apresentar o comprovante do seguro viagem ou saúde. No entanto, a não obrigatoriedade não diminui a relevância de tal documento. 

O seguro viagem para Argentina pode ser contratado para evitar imprevistos com o voo, como o extravio de bagagens, e garantir a assistência médica. Apesar de haver um sistema público de saúde no país, os viajantes podem ter maior comodidade com a cobertura oferecida pelo seguro. 

Em meio a tantos passeios programados para os dias de férias e descanso, o ideal é que haja maior tranquilidade e que os compromissos inesperados sejam rapidamente resolvidos. Com um seguro viagem, você tem apoio para solucionar emergências e retornar ao seu roteiro. 

A CNH é aceita como documento de identidade?

Atualmente, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) é aceita como documento de identidade para entrada de brasileiros. Entretanto, essa condição só é válida para quem está a passeio e vai permanecer menos de 24 horas na Argentina. 

Além disso, a CNH só é aceita no posto de fronteira terrestre de Puerto Iguazú, próximo às Cataratas de Iguaçu. Ou seja, caso viaje de avião, apenas o RG ou o passaporte vão ser válidos.

Tenha uma viagem segura com a ComparaOnline!

Agora, você já sabe quais são as regras para entrar na Argentina e pode se programar com antecedência. Se quer ter mais tranquilidade nos passeios, conte com a ComparaOnline para contratar um seguro viagem. Em poucos instantes, a cotação é liberada, possibilitando a seleção do plano de sua preferência!


Elisa Matos
Autor

Elisa Matos

Eu sou formada em Jornalismo e tenho especialização em Marketing Digital. Escrevo sobre produtos financeiros, seguros e viagens. Já morei em 9 cidades do Brasil e amo viajar o mundo. Minha missão é escrever com simplicidade para tornar a vida das pessoas mais fácil.

Procurando por um seguro viagem?

Compare ofertas das maiores empresas do mercado.

Cotar meu seguro