Conheça sinais de que a quilometragem do seu carro pode ter sido adulterada

Escrito por Pedro Da Silva

Ao comprar um carro usado, infelizmente é comum que a quilometragem seja alterada para que o preço possa ser maior. Um carro mais antigo e mais “rodado” tende a ter problemas mais cedo e obriga o motorista a acionar o seguro automotivo. Por isso, é importante saber identificar se a quilometragem foi adulterada ou não. Vale dizer: essa não é uma tarefa simples. Mas confira abaixo algumas dicas que podem facilitar na identificação.

Manual

Pode não parecer, mas comprar um carro com manual é bem importante. No manual, é possível ver todas as revisões já realizadas com suas respectivas datas e quilometragem na época. Com essas informações, é possível saber se a quilometragem atual está proporcionalmente correta.

Pneus

Os pneus também podem denunciar a quilometragem. Quando eles já estão carecas, significa quilometragem maior do que 40 mil km. Carros novos devem ter no máximo 10 mil km.

Sinistros e vistorias

Outra recomendação é perguntar ao antigo proprietário qual era a seguradora contratada. Com a informação, basta fazer uma cotação do seguro do auto na seguradora e verificar se já houve vistoria ou sinistro. Se sim, basta solicitar a quilometragem na época em que o sinistro ou vistoria foi feita.

Aparência

Pode parecer subjetivo, mas a aparência também diz muito sobre a realidade. Verifique a região dos pedais, desgaste em suas borrachas e no tapete, volante liso ou trinca de desgaste nas coifas do câmbio ou freio. Todos esses itens desgastados são indícios de quilometragem acima de 80 mil km.

Laudo especializado

Quem não tem muito conhecimento sobre o assunto pode achar difícil saber se a quilometragem foi adulterada ou não. Nesses casos, o ideal é entrar em contato com uma oficina credenciada do seguro de carro e pedir uma avaliação.

E, mais importante, não tenha medo de desconfiar. A tarefa de descobrir um adultério da quilometragem pode ser difícil, já que isso foi encontrado até mesmo em concessionárias em alguns casos. Por isso, olho aberto e desconfiômetro ligado sempre! 😉