Uma viagem de navio pode ser uma experiência única e especial. Afinal, o objetivo é se divertir muito, conhecer novos lugares e aproveitar a imensa vista azul! O litoral brasileiro apresenta condições favoráveis para a navegação durante quase todo ano. Então, não importa o mês ou o destino: se você está procurando dicas para realizar essa viagem, qualquer momento será uma boa hora para embarcar nessa aventura. Saiba tudo sobre como funciona um cruzeiro marítimo e como se precaver para navegar em águas tranquilas.

Não seria errado dizer que a navegação é uma atividade tão antiga quanto a Bíblia sagrada. Ainda que não haja um consenso, muitos pesquisadores apontam que a primeira referência sobre navegação está no livro sagrado do cristianismo, há cinco mil anos. Esse tipo de transporte já serviu para os mais variados fins, e continua sendo uma das principais formas de exportar matérias primas. 

Mas, para além da história, nos dias atuais os oceanos também recebem turistas das mais diversas origens em cruzeiros marítimos de cabotagem (navegação entre portos marítimos, sem perder a costa de vista) e cruzeiros internacionais.

Esse é um dos segmentos de turismo que mais cresce no mundo. Segundo dados preliminares da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Clia Brasil), o setor registrou 100% de ocupação na temporada 2018/2019. Os sete navios que percorrem a costa brasileira atingiram toda sua capacidade no período encerrado no início de abril. A estimativa é que esse período de atividades tenha um impacto acima de R$ 2 bilhões na economia do país e geração de 30 mil empregos. 

Leia também: Qual é a melhor época para ir ao Caribe?

Uma viagem de navio é para você?

Atualmente, os navios de cruzeiro costumam ser equipados com todo tipo de serviço, desde bar, quadra poliesportiva, academia, danceteria, cassino até lavanderia e ambulatório médico. Existem os cruzeiros luxuosos, com tudo incluso, ou as opções mais modestas (fluviais), com o objetivo de aproveitar muito mais o destino do que o transporte. Há também variações de cabine: das mais simples, para apenas descansar, às mais refinadas, estruturadas com sacada e vista para o mar.

Enfim, o que não falta é opção para todos os tipos de viajantes: famílias, casais, amigos e também para quem deseja viajar sozinho. Se você ainda está pesquisando com o objetivo de decidir se um cruzeiro marítimo é uma opção interessante para você, saiba que é bem provável que exista um serviço alinhado aos seus objetivos de viagem.

Tédio não é um sentimento que você levará na bagagem. Existem atividades de todos os tipos e para todos os gostos. Antes de tudo, escolha um cruzeiro que atenda às suas expectativas, e que seja equipado com a estrutura que você procuraria em um resort, por exemplo. Assim, você não corre o risco de sentir vontade de sair correndo (ou nadando) do navio.

Sobre alinhar expectativas, também é importante se informar sobre o que está incluso da sua viagem e os custos extras que você precisará arcar dentro da embarcação, para não ter nenhuma surpresa desagradável ao final.

Além disso, um receio comum das pessoas que desejam fazer cruzeiro é a sensação de se sentir preso. No caso de pessoas com claustrofobia, é recomendado que se evite cabines sem janela ou varanda. Conheça bem como são as dependências do quarto antes de fechar a sua viagem.

Por último, muitas pessoas também receiam passar durante todo o percurso nauseadas por causa do balanço do mar. No entanto, atualmente os navios são equipados com tecnologia para garantir mais equilíbrio e seguem rotas estáveis, oferecendo maior conforto para quem costuma enjoar com o balanço de um barco, por exemplo.

Leia também: Dicas para evitar sustos em um cruzeiro

Documentos importantes para levar

Os documentos que você deve levar em uma viagem de navio são semelhantes aos de uma viagem aérea. Além disso, as empresas ressaltam que o passageiro é o único responsável pelo cumprimento de todos os requisitos de viagem impostos pelo governo, por lei ou regulamento, para todos os portos de escala previstos no itinerário.

Para cruzeiros com origem e destino no Brasil, é necessário apresentar RG com no máximo 10 anos de emissão, CNH ou certidão de nascimento para crianças de até 12 anos. Algumas companhias não permitem viagem de menores desacompanhados. Já as crianças que viajam com um representante legal devem ter uma autorização judicial específica. Em caso de um dos pais ser falecido, é preciso apresentar certidão de óbito original.

O passaporte em viagens de navio em países fora do Mercosul é obrigatório, além de visto conforme o território de destino. Alguns países que também pedem o certificado internacional de vacinação que deve estar em dia. Portanto, esteja atento a essas informações na hora de contratar um cruzeiro.

As mulheres grávidas devem procurar um médico antes de viajar, entendendo junto ao profissional a indicação para seu estado específico, independentemente da fase de gestação. Uma regra padrão das empresas é de não transportar mulheres com mais de 24 semanas de gestação (na data de desembarque), por razões de segurança. As companhias também podem exigir um atestado médico em qualquer fase da gestação e até recusar o embarque, se interpretarem que a gestante não estará segura durante a viagem. 

Viagem de navio marcada! Devo contratar um seguro?

O seguro viagem não é obrigatório na maioria dos cruzeiros marítimos, mas altamente recomendado para sua segurança e maior tranquilidade a bordo. Se seu destino for para lugares onde o seguro viagem é obrigatório, como Europa, o ideal é que a cobertura para viagem em cruzeiros esteja inclusa. Então fique atento às especificações de cobertura que, geralmente, são as mesmas que se aplicam a uma viagem aérea (inclusive extravio de bagagem). 

Quando você está navegando, se for necessário acionar a cobertura de assistência médica, a principal diferença é na forma de pagamento. Isso porque não é possível ir a clínicas credenciadas das seguradoras quando se está em alto mar, não é mesmo? Em casos de problemas de saúde, você pode consultar o médico disponível no navio, mas é preciso pagar a bordo. Portanto, nesse caso, o seguro viagem funciona apenas por reembolso. Agora, se você tiver uma emergência em terra, o atendimento pode ser feito normalmente na rede credenciada. 

A seguradora Assistcard, que tem uma parceria com a Royal Caribbean, oferece atendimento “cashless” aos clientes. Com essa parceria, os passageiros podem ser atendidos dentro do navio e a seguradora faz o acerto diretamente com a Royal Caribbean, sem que o passageiro precise pagar e pedir reembolso depois. Atualmente, é a única empresa a oferecer esse serviço para viagem de navio.

Como contratar um seguro para sua viagem de navio?

Você pode fazer uma cotação através do site da Compara. Ao escolher a melhor opção, não esqueça de observar os detalhes. Quando houver a cobertura para cruzeiros marítimos, informamos no descritivo de coberturas por meio de uma frase: “Inclui Cruzeiros Marítimos”. Na hora da contratação, também é importante considerar coberturas de bagagem, esportes amadores (caso vá praticar algum a bordo) e assistência médica.

Uma informação importante ao contratar seu seguro viagem: mesmo que o destino ou origem do cruzeiro seja o litoral brasileiro, por se tratar de águas marítimas, o seguro a ser adquirido deve ser internacional.

Imagem: Danilo Borges – via Ministério do Turismo