Virabrequim: o que é e dicas para manutenção

Escrito por Larissa Ferreira

Você já ouviu falar sobre o virabrequim? Ele é uma das principais peças mecânicas de um carro e mesmo assim é desconhecido para muita gente.

Popularmente conhecido como cambota ou veio de manivelas, o virabrequim é um componente giratório formado por várias articulações e está localizado na parte inferior do motor.

A função dessa peça é transformar os movimentos de sobe e desce dos pistões (componente motor que inicia o trabalho mecânico do veículo) em movimento circular.

De forma mais simples, podemos dizer que o virabrequim distribui a energia gerada pelo propulsor mecânico para colocar o automóvel em movimento já que ele é conectado ao volante e as rodas.

O virabrequim, e claro, todas as outras peças do seu carro, deve estar em perfeitas condições de funcionamento, caso contrário, o desempenho do motor pode ser comprometido, assim como a sua segurança.

Características e vida útil do virabrequim

O virabrequim geralmente é fabricado em metal duro como o aço forjado, ideal para resistir a altas temperaturas e evitar desgastes, pois ele está em contato direto e contínuo com as áreas mais quentes do carro.

Mas, ainda assim, não é fácil presumir com exatidão sua durabilidade.

Podemos estimar que a vida útil desse componente pode variar entre 80 mil e 250 mil quilômetros rodados. No entanto, há três fatores importantes que podem acelerar o seu desgaste:

  1. A matéria-prima utilizada na confecção da peça;
  2. Falta de manutenção preventiva;
  3. Acionamento incorreto da embreagem como, descansar o pé no pedal de acionamento ou tentar controlar o veículo parado apenas com a embreagem.

Como identificar problemas no virabrequim

Dirigir um carro com o virabrequim danificado ou em mau funcionamento pode trazer sérios problemas também para outras partes do veículo, por isso é muito importante prestar atenção a alguns sinais que podem indicar possíveis danos:

  • Excesso de ruídos metálicos;
  • Aumento no consumo de combustível;
  • Consumo excessivo do óleo lubrificante;
  • Superaquecimento do motor;
  • Presença de água ou metais no compartimento do óleo lubrificante do motor.

Trocar ou consertar o virabrequim danificado?

O reparo ou a troca da peça vai depender das condições em que ela se encontra. E para isso, é fundamental que um bom mecânico avalie o grau de comprometimento e identifique os danos.

Em muitos casos, a troca da peça é mais recomendada e pode ser vantajosa a longo prazo.

Alguns danos podem ser comprometedores para todo o funcionamento do carro e fazem com que o dono do veículo gaste dinheiro frequentemente com soluções remediadoras que não resolvem o problema.

É o caso de quando o virabrequim apresenta folgas axiais ou se rompe por completo fazendo com que o carro pare de funcionar e deixe o motorista na mão.

No entanto, há situações em que a peça tenha uma sobrevida e apenas o reparo consiga solucionar o problema. Isso acontece quando o eixo estiver empenado ou em atrito com os pistões.

Para solucionar esses tipos de problemas mais simples, basta que um mecânico profissional utilize as ferramentas adequadas e execute os procedimentos corretos para o reparo.

De um modo geral, a troca da peça costuma ser a melhor solução na maioria dos casos.

A instalação de um virabrequim novo e de boa qualidade é a melhor maneira de assegurar um bom desempenho do veículo e a segurança de todos que o utilizam.

É importante saber também que o virabrequim precisa ser lubrificado com frequência para garantir um bom melhor desempenho e prolongar sua vida útil.

Além disso, é necessário realizar manutenções preventivas e periódicas para garantir o funcionamento correto de todos os componentes do carro e sua performance em nível máximo.

Lembre-se, pequenos defeitos podem se transformar em prejuízos e transtornos enormes para você e o seu bolso!