Quanto custa atrasar o pagamento do cartão de crédito?4 min read
Avalie esse post

O cartão de crédito trouxe muita comodidade e segurança para compras online ou feitas pessoalmente, mas para que não se transforme em dor de cabeça, é necessário usá-lo de forma consciente e sempre seguindo um planejamento para evitar dívidas. É preciso não criar o hábito de financiar uma parte da fatura. Uma dica é pensar no cartão de crédito como algo usado apenas em casos importantes, e não para gastos corriqueiros.

Multas por atraso

Ao não pagar a fatura no dia do vencimento, será necessário arcar com multa por atraso. Essa despesa independe da quantidade de dias de atraso; pagar no dia seguinte ou dez dias depois já ocasiona a multa que, segundo o Código de Defesa do Consumidor, não pode passar de 2% do valor total da fatura.

Juros por atraso

Além das multas, as empresas e bancos que oferecem cartão de crédito também podem cobrar juros. O limite para a cobrança do juro é de 1% ao mês. Os juros de mora são permitidos mesmo em contratos que não os mencionem, mas, dentro desse cenário, o patamar de cobrança deve ser de até 0,5% por mês.

Pagamento parcial

Além dos atrasos que ocasionam multas e juros, o pagamento parcial também é algo muito comum. Nesse caso, após não pagar o valor total da fatura os juros pagos serão proporcionais ao período do valor financiado, com taxa de juros definida com antecedência. Esses juros são aplicados em cima do valor financiado. Por exemplo, uma fatura de R$ 200 em que se paga apenas R$ 40, o valor financiado é R$ 160 e os juros são calculados sobre ele.

Esse tipo de juros, entretanto, varia de acordo com diversos fatores, como o perfil de risco. Quem nunca atrasou faturas e possui um bom histórico no banco, tem boas chances de conseguir negociação com taxas mais econômicas. A média dos juros cobrados após pagamento parcial é de 10% ao mês, algo bastante elevado e que ainda pode ser maior se o perfil do cliente for considerado de alto risco. Para ser considerado alguém com o perfil de risco, os bancos geralmente levam em conta fatores como nome sujo no SPC ou Serasa ou alguém que constantemente atrasa os pagamentos da fatura ou paga apenas o valor parcial.

Ter um cartão de crédito é uma ótima ferramenta contra despesas imprevistas, mas para que essa poderosa facilidade não dê prejuízos, é necessário sempre se comprometer a não gastar mais do que é possível pagar em dia. É importante não usar, por exemplo, mais do que a metade da renda mensal total e criar o hábito de anotar os gastos ou olhar o extrato com frequência na internet ou em caixas de autoatendimento. Essa prática evita gastos impensados e faz com que você fique ciente da fatura parcial do mês. Outra forma de evitar o pagamento atrasado é não acumular muitas parcelas no cartão de crédito para que em um determinado mês o valor não fique elevado.

Inscreva-se em nossa newsletter