O que é empreender – Tudo o que você precisa saber para tirar seu negócio do papel

Escrito por Cecilia Alberigi

Muita gente já deve ter escutado diversas vezes a palavra “empreender”. Em tempos de crise econômica acompanhada de um alto índice de desemprego, o termo é bastante comum na vida de muitos brasileiros. Mas afinal, você sabe o que isso quer dizer?

Ao pé da letra, empreender significa fazer ou realizar algo, mas na prática sua definição é muito mais abrangente e normalmente está relacionada ao mundo dos negócios.

Empreender é tornar real uma ideia de negócio, é planejar e executar com autonomia ações que possam oferecer algo de valor para a sociedade assumindo totalmente seus riscos financeiros e sociais.

De acordo com um estudo divulgado em janeiro deste ano pela Global Entrepreneurship Monitor (GEM), empresa responsável pelo monitoramento do empreendedorismo global, no Brasil existem cerca de 51,9 milhões de empreendedores, ou seja, pessoas que possuem um negócio próprio.

Nesta pesquisa, realizada em 49 países, o Brasil aparece em 1° posição quando considerada a taxa de empreendedorismo apenas nos países do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul):

Brasil 38%
China 26,7%
Índia 11%
África do Sul 9%
Rússia 8,6%

Seja por oportunidade ou necessidade, o empreendedorismo está em alta no País e esse número só tende a aumentar.

Como empreender – 5 dicas para começar o seu negócio

Começar um negócio não é uma tarefa fácil, é algo que exige planejamento, foco e muito conhecimento.

Por isso, para aqueles que querem empreender mas não sabem por onde começar, nós preparamos um roteiro com 5 dicas que vão ajudar a transformar sonhos em realidade. Confira!

1. Invista em conhecimento

Independente do tipo ou tamanho do negócio que deseja abrir, é fundamental se preparar para o mercado.

Invista em cursos básicos sobre empreendedorismo, estratégias de vendas, plano de negócios e marketing digital. Esses são assuntos que todo empreendedor deve saber, não importa a área em que atua.

Hoje, existem diversos cursos disponíveis online para que você possa estudar quando e como quiser. FGV OnlineUSPEndeavorSenaiUnicamp e Sebrae são alguns exemplos de ótimas plataformas que disponibilizam conteúdo gratuito.

Considere também realizar cursos técnicos específicos para a sua ideia de negócio, workshops e eventos importantes como a Feira do Empreendedor do Sebrae que acontece anualmente na cidade de São Paulo e é referência tanto para quem já é empreendedor quanto para quem está apenas começando.

2. Monte um plano de negócio

Planejar o futuro da empresa nos meses iniciais é indispensável para traçar os rumos do negócio e evitar riscos desnecessários.

É por meio do plano de negócios que o empreendedor tem uma análise detalhada sobre o mercado, seus concorrentes, perfil de clientes e custos. Além disso, com um plano de negócios bem feito em mãos é possível:

  • Organizar o controle de caixa;
  • Saber quantos funcionários é possível contratar;
  • Investir na expansão da empresa;
  • Facilitar a comunicação com fornecedores, parceiros e clientes.

Para te ajudar a montar um plano de negócios você pode consultar o manual feito pelo Sebrae clicando aqui.

3. Estude seu mercado

Conhecer o mercado e o segmento do seu negócio é primordial para ter sucesso na nova empreitada. É preciso entender a concorrência, o comportamento do público-alvo da empresa e tendências de consumo. Por isso, é necessário uma pesquisa detalhada para identificar oportunidades e problemas, além de guiar toda a estratégia empresarial.

Para elaborar uma pesquisa de mercado você deve:

  • Definir os objetivos da pesquisa – aquilo que você quer descobrir com ela;
  • Definir o público-alvo – seu público é definido com base no objetivo da pesquisa;
  • Definir o tamanho da amostra da pesquisa – número de pessoas que vão responder a pesquisa;
  • Montar um questionário de perguntas – elas devem ser diretas e objetivas;
  • Aplicar a pesquisa para o seu público-alvo – essa etapa pode ser realizada presencialmente ou online por meio de questionários virtuais;
  • Analisar os resultados.

4. Invista em relacionamento digital

Segundo o relatório da Social Media Trends 2019, 96,2% das empresas estão presentes nas redes sociais. A visibilidade da marca (70,5%) e a divulgação de conteúdo (66,1%) foram os principais motivos que levaram as empresas participantes do estudo a criar um perfil nas redes sociais.

Isso acontece porque, com a chegada da tecnologia, novas formas de atendimento foram criadas, fazendo com que os clientes se aproximem e esclareçam suas dúvidas diretamente com a marca.

Estar presente no ambiente digital também possibilita a realização de vendas e serviços, pois as empresas podem divulgar seu contato e criar um canal de comunicação direto com os clientes.

Outra vantagem é poder conquistar credibilidade e aumentar a visibilidade online por meio de conteúdo que seja relevante para a sua audiência. Mas lembre-se, todo e qualquer conteúdo deve ser informativo e atrativo para agregar valor.

5. Formalize sua empresa

A última etapa para tornar o seu negócio realidade é a formalização.

Existem duas possibilidades de registro e um procedimento diferente para cada uma delas. Veja:

  • MEI – Microempreendedor Individual

O MEI é a formalização para microempreendedores que não têm sócios e faturam até R$ 81 mil por ano.
Nessa categoria o processo é bem simples e feito totalmente online. Basta cadastrar a sua empresa no Portal do Empreendedor e em poucos minutos o seu CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) estará disponível.

Com ele em mãos é possível abrir uma conta no banco para a sua empresa, emitir notas fiscais e solicitar empréstimos.

O empreendedor paga apenas um valor fixo mensal que varia de acordo com o setor de atuação da empresa:

Comércio ou indústria – R$50,90
Serviços – R$54,90
Prestação de serviços – R$55,90

O pagamento desse valor mensal dá direito ao microempreendedor individual acesso aos benefícios do governo como auxílio-doença, auxílio-maternidade e aposentadoria.

  • ME – Micro Empresa

Para se enquadrar nessa categoria o empreendimento deve ter receita bruta anual inferior ou igual a R$360 mil. Aqui não há restrição para a execução de serviços, mas é importante ter o controle do faturamento, pois se o lucro ultrapassar o limite para ME, o regime tributário deve ser alterado.

A Micro Empresa deve realizar o registro no Estado e na prefeitura da cidade onde ela vai atuar, na Receita Federal e na Previdência Social.

Como empreender com pouco dinheiro

Se para você empreender parece algo impossível por questões financeiras, nós temos uma boa notícia para te dar.

É possível empreender com pouco dinheiro sim! Isso porque há várias opções e ideias de negócios que não precisam de investimento inicial alto.

Além disso, muitos modelos de empreendimentos permitem que o trabalho seja feito de casa, sem precisar arcar com os custos do aluguel de um estabelecimento comercial.

É importante saber que, hoje em dia, não importa o tamanho ou o nicho do seu negócio, todo mundo que quer vender precisa de uma maquininha de cartão. Elas são essenciais para todo tipo de negociação e uma forma segura de receber os pagamentos, pois o dinheiro não fica parado no caixa sujeito a roubo. Aqui você consegue comparar as várias opções disponíveis no mercado e escolher a maquininha ideal para você.

Ainda assim, mesmo para empreender com pouco dinheiro, é importante realizar todo o passo a passo do roteiro que você leu acima.

Confira algumas ideias para empreender com pouco dinheiro

Loja virtual

Abrir uma loja virtual é um trabalho que pode ser feito da sua casa, sem custos e por uma pessoa só.

O domínio do site (endereço virtual que sua loja é hospedada) custa cerca de R$40 ao ano e muitas plataformas oferecem sistemas e ferramentas que auxiliam tarefas como pagamentos, envio de e-mail MKT e cadastro de clientes.

Um comércio eletrônico pode abranger diversos setores de atuação: moda, eletrodomésticos, cursos, alimentação, etc. Invista naquilo que você conhece e se identifica.

Venda de marmitas

Essa é uma ótima opção de negócio com baixo custo principalmente se você gosta de cozinhar.

Você pode oferecer aos seus clientes refeições caseiras, bolos e doces para festas, comidas saudáveis e congelados.
As refeições podem ser entregues na casa dos clientes por meio de aplicativos de delivery, como iFood, Uber Eats e Apptite, ou retirada sob encomenda.

Serviços de informática

Notebooks e celulares são itens que fazem parte do dia a dia de muitas pessoas, por isso as franquias de informática e acessórios estão conquistando cada vez mais espaço no mercado.

Consertar notebooks, atualizar softwares ou vender acessórios para celulares são algumas opções de serviços que podem ser realizadas dentro da sua casa e a divulgação pode ser feita totalmente online com custo zero.

Microfranquias

Atualmente, é possível ser dono de uma microfranquia com investimento a partir de R$5 mil reais e as opções são diversas: limpeza de automóveis, cursos online, agência de viagens, soluções de marketing para empresas, quiosques de cosméticos etc.

No Portal do Franchising você encontra a lista atualizada com 33 ideias de franquias de baixo custo para começar o seu negócio.

Brechó

A comercialização de roupas, bolsas, calçados e bijuterias usadas é uma opção de negócio popular na Europa e nos Estados Unidos.

Os brechós podem ser vistos como uma oportunidade de oferecer roupas, desde que limpas e em bom estado, de marcas famosas por um preço acessível, com economia de até 80% em relação às lojas tradicionais.

A compra e venda das peças pode ser realizada diretamente com os clientes pelas redes sociais, como o Instagram ou em um pequeno espaço físico até mesmo dentro da sua casa.

Opções para empreender é o que não faltam, basta escolher um nicho de mercado e se preparar para o desafio. Há opções para todos os bolsos, é só colocar a mão na massa!

Se inspirou com o nosso artigo? Então compartilhe nas redes sociais e ajude a inspirar outras pessoas. Você também pode conferir aqui cinco motivos para abrir um negócio próprio e ir em busca da sua história.