Preencha os campos abaixo para receber seu e-book.

Apesar de sua importância, o motor de partida é uma das peças menos conhecidas entre os proprietários. Basicamente, esse é o componente responsável pela inicialização do veículo, servindo como um auxílio elétrico e impulsionando as primeiras rotações no motor do automóvel.

Por conta disso, preparamos este artigo especialmente para tratar do motor de partida, explicando seu funcionamento, apontando as falhas mais comuns e, por fim, listando os melhores cuidados para se ter com esse componente. Agora, não perca mais tempo e continue a leitura para aprender sobre o tema!

O que é o motor de partida?

O motor de partida também é conhecido como motor de arranque, por conta de sua função principal: permitir a inicialização do motor à combustão. Contudo, vale destacar que o motor de partida é uma peça elétrica, e assim se diferencia dos demais componentes mecânicos.

Os motores de arranque são compostos pelas seguintes peças:

  • bobina;
  • bendix;
  • mancais;
  • induzido;
  • solenoide;
  • porta-escovas.

Dentro dos veículos, o motor e arranque está posicionado junto ao sistema de transmissão e ao volante do motor à combustão, permitindo que o trabalho mecânico inicie rapidamente. Agora, veja um breve apanhado de como essas pecinhas funcionam para garantir a operação do motor de partida:

  1. o condutor vira a chave na ignição;
  2. o porta-escovas recebe uma carga elétrica da bateria;
  3. o motor de arranque é acionado;
  4. forma-se um microcampo magnético entre bobina e induzido;
  5. com o magnetismo, o bendix começa a girar;
  6. enquanto isso, o solenoide é energizado pela corrente elétrica da bateria;
  7. então, o solenoide pressiona uma mola, fazendo com que o bendix e o volante do motor conectem suas engrenagens;
  8. com essa última conexão, o motor mecânico começa a operar, exercendo suas rotações, que podem ser acompanhados no painel, sob a métrica de rotações por minuto (RPM).

Apesar de complexa, toda essa operação funciona como em um passe de mágica da engenharia moderna. Afinal de contas, basta que você “bata a chave” na ignição para que o seu veículo comece a trabalhar, não é mesmo?

Aqui, vale lembrar o dispositivo que foi substituído pelo motor de partida: as manivelas! Sim, caro leitor! Esse motor “aposentou” as exigentes e cansativas manivelas de arranque e, desde 1927, vem integrando os veículos atuais, como uma solução unânime.

Quais os defeitos mais comuns?

Pronto! Agora que você conhece tanto a definição quanto a funcionalidade do motor de partida, chegamos ao momento em que listamos as principais falhas. De uma maneira geral, essas são as reclamações mais recorrentes dos proprietários nos pátios das oficinas. Veja!

1. Motor “cansado”

Entre todos, esse é o problema mais frequente do motor de arranque, sendo causado pelo desgaste avançado nas escovas. Esse defeito é identificado quando o proprietário aponta que o motor está com uma sensação pesada ao ligar, como se a máquina apresentasse “cansaço” — uma resposta ao pedido de inicialização.

De qualquer modo, a situação pode ser solucionada com a substituição das escovas. Para a felicidade do proprietário, esse é o procedimento de manutenção corretiva mais barato que se pode realizar em um motor de partida.

2. Estalo ao ligar

Já aqui, temos uma falha que assusta os proprietários. Quando o condutor gira a chave na ignição, tudo o que tem como resposta é um estalido metálico bem alto e mais nada! O motor não liga e não apresenta reação diferente, apenas estala nas tentativas de acionamento.

Esse problema está relacionado ao solenoide, que não está conseguindo conectar as engrenagens do bendix com as do volante do motor. A falha só pode ser solucionada com a substituição por um novo solenoide.

3. Ruído sem acionamento

Aqui, o motorista tende a apontar que escuta um zunido de rotação, mas que o carro não sai disso. Nessa ocasião, o bendix está girando descontroladamente, por conta de suas engrenagens gastas e que não conseguem mais atracar ao volante do motor. Novamente, um problema que pode ser solucionado com a substituição de uma peça isolada, o bendix.

4. Motor “cansado” II

Um sintoma idêntico àquele visto nas escovas gastas, em que o motor fica pesado, demonstrando uma “preguiça” incompatível com o funcionamento de uma máquina. Apesar de o problema ser o mesmo, o defeito causador poderá estar em outro componente: o induzido.

Por estar gasto e já ter completado seu arco de durabilidade, essa peça perde sua capacidade de manter o campo magnético, prejudicando o funcionamento dos demais componentes secundários. A solução fica por conta de sua substituição, instalando um novo induzido.

5. Silêncio e inatividade

Por último, mas não menos importante, esse é um defeito que acusa uma falha generalizada no motor de partida. Se o resultado da virada da chave for o completo silêncio, perceba que isso pode significar a perda total do motor de arranque. Aqui, será necessário a substituição da peça por completo, com um valor que flutua entre R$ 300 e R$ 700, a depender do seu modelo.

Quais os cuidados indispensáveis com o motor de arranque?

Esse tópico pode soar estranho, sobretudo porque os motores de partida não são componentes de utilização continuada, como pneus, suspensões e afins. Mas, apesar de suas poucas e rápidas operações, existem maneiras para estender sua vida útil.

Por exemplo, nunca gire a chave na ignição com o motor à combustão já em funcionamento. Isso pode ser fatal para o motor de arranque e principalmente para o bendix, que tentará se conectar ao volante do motor, enquanto este último opera em alta velocidade.

Além disso, vale lembrar do que fazer nos dias frios! Ligar veículos nos dias atuais é uma tarefa simples, sobretudo por conta dos tanques de partida a frio. Esses recipientes devem estar abastecidos com uma pequena reserva de gasolina, fundamental para a inicialização em temperaturas baixas. Por isso, nunca deixe esse reservatório vazio. Caso isso aconteça, o motor de arranque pode superaquecer na infinita tentativa de fazer o veículo ligar.

Por fim, lembre-se: apesar da baixa probabilidade de apresentar falhas, caso algum defeito ocorra, são grandes as chances de que você não consiga utilizar o veículo. Então, siga as recomendações gerais e garanta a operação do seu automóvel sob todas as condições!

Gostou deste artigo explicando o funcionamento do motor de partida? Então não perca a oportunidade de receber outros conteúdos explicativos aqui no blog! Basta se inscrever na nossa newsletter.