Após programar uma viagem para fora do Brasil, é comum cuidar de todos os detalhes referentes ao automóvel para mais comodidade. Em países como o Canadá, o seguro de carro é obrigatório. Mas há diversas outras dúvidas sobre dirigir no exterior, principalmente quando se trata de multa.

 

O que fazer ao ser multado no exterior?

Em casos de multas no exterior, há algumas formas de ser autuado. Uma delas é o pagamento no próprio momento da infração, diretamente ao agente fiscalizador. O pagamento também pode ser feito em agência do correio ou recebimento na residência do infrator. No último caso, o prazo é de até 12 meses após a data da multa e a locadora cobra uma taxa adicional administrativa. A quitação por ser feita por transferência internacional ou cartão de crédito.

Se a multa for referente a um acidente com danos no veículo, é importante entrar em contato com a polícia para emitir boletim de ocorrência. Vale lembrar que danos causados em viagens ao exterior geralmente não são cobertas pelo seguro do automóvel e exigem cobertura adicional.

 

Como contestar?

Caso não concorde com a multa, há a possibilidade de contestar. Se essa contestação não for imediata e o automóvel for registrado no exterior, o seu proprietário deve ser notificado no prazo de 360 dias contados a partir do dia da infração. O processo, entretanto, costuma ser custoso.

 

Como pagar multa obtida no exterior?

Apesar da possibilidade de contestar, fugir da dívida nunca é recomendado. Não pagar a dívida em até 60 dias após o recebimento da correspondência tem como consequência o impedimento à volta do infrator ao país. Em alguns casos, pode até bloquear o passaporte.

Os tipos de pagamento variam de acordo com o tipo de multa. As menos graves, como estacionar em locais não permitidos, podem ser pagas com o tíquete que o infrator recebe no ato. Já em infrações mais graves, a multa é enviada por correspondência e os valores variam de acordo com gravidade e país.

O pagamento pode ser feito via cartão de crédito internacional ou internet. Também pode ser paga pela locadora, que em seguida repassa o custo ao cliente. Casas de câmbio podem servir como intermediários entre o turista infrator e órgãos oficiais.

Para diminuir o mal causado por um acidente, antes de pegar o carro fique atento a todas as leis de trânsito de cada país. Só assim você terá a certeza e tranquilidade no caso de imprevistos durante a viagem.