orçamento familiar e sair do vermelho. A verdade é que a grande maioria não sabe controlar seus gastos e acaba se acostumando a ter uma vida mais regrada e com o medo constante de se endividar. Pensando nisso, reunimos algumas dicas que vão ajudar você a colocar a economia doméstica em prática, bem como equilibrar suas contas e, assim, alcançar a estabilidade financeira. Acompanhe!

Controle as suas despesas e as suas dívidas

A partir de hoje comece a usar planilhas para ter uma maior economia doméstica e um maior controle sobre as suas contas (plano de saúde, mensalidade escolar, IPTU, água etc.). Ao fazer isso, você evitará atrasos de boletos e faturas e, acima de tudo, conseguirá identificar quais delas estão tendo variações muito grandes de um mês para o outro. Além disso, esse costume o ajudará a listar as dívidas que seguem pendentes por falta de pagamento. Assim, dá para acompanhar a evolução delas e sempre saber o valor atualizado de cada uma de acordo com os encargos que são aplicados. A partir disso, você pode tentar negociá-las e até conseguir um abatimento com os credores.

Reveja os seus hábitos domésticos para economizar

A segunda dica de economia doméstica é bem simples: após colocar as contas em ordem, é hora de rever os hábitos domésticos que podem estar contribuindo para aumentar os seus gastos de forma desnecessária e imprudente, deixando, assim, o seu orçamento mensal apertado. Alguns exemplos são:
  • não leve o cartão de crédito ao sair para passear ou fazer compras;
  • faça listas do que comprar ao ir ao atacado, ao mercado, à feira ou ao hortifruti;
  • troque as lâmpadas fluorescentes da sua casa por modelos LED que são mais potentes, econômicas e duráveis;
  • evite acender as luzes durante o dia, aproveitando mais a iluminação natural;
  • opte por celulares pré-pago para todos os membros da família;
  • substitua os ares-condicionados do seu lar por ventiladores que têm um consumo energético muito menor e ainda são portáteis;
  • aprenda a cozinhar para fazer suas refeições em casa ou levar a sua marmita para o trabalho;
  • cancele a assinatura de tv a cabo, revistas, jornais e outros serviços que você usa pouco ou mantém só por status.
Lembre-se também de estimular que a sua família faça o mesmo. Assim, você contribui ativamente para a economia doméstica do lar. Do contrário, por mais que você se esforce em reduzir as despesas, o resultado será muito aquém do esperado.

Faça uma reserva financeira

Por fim, é o momento de você começar uma reserva financeira. Afinal, com os seus gastos reavaliados, suas dívidas pagas e a adoção de novos hábitos de consumo e comportamento, será muito mais fácil ficar com uma parte do seu salário livre para ser usada com esse objetivo. Por isso, estabeleça uma meta mensal para poupar e não deixe de segui-la religiosamente, certo? Lembre-se sempre que esse pé de meia pode ser muito útil em situações emergenciais, como aquelas que envolvem problemas de saúde ou necessidade de reparos no seu lar, por exemplo. Como você viu, não faltam dicas que vão ajudar você a fazer uma economia doméstica real e, em especial, eficiente. Por isso, siga todas elas no seu dia a dia e mude a forma como você se relaciona com o dinheiro! Gostou do post? Então assine a nossa newsletter e confira outras dicas para melhorar a sua vida financeira! [/fusion_text][/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]]]>