Seguro Viagem

Estratégias para economizar durante as férias

Cortar custos e economizar durante as férias é possível. Conheça as estratégias que mais tem dado resultado e aproveite a economia para realizar a viagem dos seus sonhos.

1. Hospedagem trocada

Quem não quer perder uma oportunidade de passar uns dias de férias longe de casa, mas não tem intenção de pagar caro por um quarto de hotel, pode aproveitar a hospedagem trocada. Este tipo de estadia nada mais é do que trocar de casa, por um período, com alguém que more no destino escolhido. Assim, ambos conhecem lugares diferentes com a infraestrutura completa de um lar, sem gastar nada por isso.

2. Troca antecipada de moeda

É preferível trocar uma pequena quantidade de dinheiro antes de chegar ao aeroporto de destino, do que receber menos quando chegar lá. Cartões de débito também costumam cobrar taxas menores e, ainda, há as plataformas internacionais de pagamento online que costumam facilitar o acesso aos dados e valores em qualquer lugar do mundo, em diferentes moedas.

3. Prefira um quarto privado a um hotel

Com as facilidades que a internet oferece, além de um mundo sem fronteiras, é possível negociar apartamentos e quartos privados em sites especializados, tudo com mobília incluída. Este tipo de hospedagem é sensivelmente mais barata do que as diárias de um hotel e ainda acabam servindo como uma boa ocasião para fazer novas amizades.

4. Paris e Nova York não são tão caros assim

Tudo depende do tipo de acomodação, estilo da viagem e roteiro de compras. Quem está disposto a conhecer as cidades mais famosas do mundo, pode optar por roteiros mais em conta, incluindo quartos mais baratos, hotéis mais simples e refeições um pouco mais modestas, afinal, o importante é conhecer os lugares mais badalados do mundo.

5. Refeições em conta e supermercado na lista de visitas

Para gastar menos com refeições, a dica é visitar os locais que costumam servir aos moradores da região. Restaurantes próprios para atender turistas não costumam aliviar o bolso do visitante. Outra tática bastante eficaz é comprar mantimentos nos supermercados e preparar refeições simples no local onde estiver hospedado. Este tipo de economia faz uma diferença enorme no orçamento em quase todas as viagens, seja para o litoral mais próximo, seja um destino internacional.

6. Baixe aplicativos de viagens

Procure por aplicativos como mapas, guias, dicionários e, lógico, leitores de códigos de barra e visualizadores de ofertas para economizar nas compras. Além disso, a economia de espaço na bagagem serve para acomodar outros itens mais importantes, sem que você tenha que se preocupar com as taxas de excesso de peso das companhias aéreas.

7. Conhecer o mundo como voluntário

Há vários países que precisam de voluntários para atender a populações carentes dos mais diversos meios. Fazer uma viagem para este tipo de destino significa ampliar conhecimentos e conhecer o mundo com os custos pagos por entidades assistenciais.

8. Volte pra casa com dinheiro

Caso esteja pensando em passar um longo período fora do país, vale a pena buscar informações sobre trabalhos temporários no destino. Há várias opções que podem ser, inclusive, pré-contratadas antes da saída em viagem, como trabalho em época de colheita, cursos intensivos de línguas, entre outros.

9. Baixa temporada também vale a pena

Um dos segredos de economizar nas compras de passagens e pacotes de viagem é justamente fugir das épocas de alta temporada. Os custos podem reduzir pela metade, tanto em relação à hospedagem, quanto restaurantes e passagens aéreas. O que se economiza nessas coisas, vale para gastar fazendo o que se gosta.

10. Seguro viagem mais em conta

Um bom seguro viagem é imprescindível para contar com proteção e segurança no caso de imprevistos dos mais variados. O que vale a pena ficar sabendo é que um seguro multianual custa menos do que aqueles contratados para uma viagem apenas. Para escolher as melhores opções em coberturas e valores, acesse ComparaOnline.

Leia mais
Consórcio Automotivo

Aprendendo a negociar a compra do seu carro novo

comprando carro

Depois de escolher o carro que você deseja e a melhor forma de comprá-lo – à vista, fazendo um consórcio automotivoleasing ou financiamento -, chegou a hora de fechar negócio. O momento mais importante da compra é o diálogo com o vendedor. Além dos temas técnicos relacionados ao veículo, é ele quem vai determinar o valor final da aquisição e a inclusão de itens opcionais. O ideal é obter deste profissional o máximo possível de informações antes de bater o martelo, mas sempre usar o bom senso para tirar suas próprias conclusões.

Seja em concessionárias autorizadas ou lojas independentes, geralmente os vendedores – que recebem comissões sobre o valor final da venda – se esforçarão em convencê-lo a decidir sua compra no ato e, claro, optar pelo valor mais alto.

Xô, preguiça: visite várias concessionárias e lojas antes de começar a negociação. Sinta o clima em cada estabelecimento e observe as principais ofertas. Embora as lojas ou concessionárias costumem dar atenção especial aos clientes que já compraram com eles anteriormente, isso não te impede de fazer um bom negócio numa loja nova. Escolher bem neste primeiro momento poderá garantir que você tenha um bom atendimento no futuro, enquanto o carro ainda estiver na garantia.

Perguntar nunca é demais: lembre-se de que, neste “jogo”, os vendedores estão de olho na comissão e, você, ansioso por ter seu carro em mãos. Por isso, tome cuidado para que a pressa não atrapalhe seu negócio e não tenha receio ou vergonha de perguntar absolutamente tudo o que quiser saber. Deixe claro para o vendedor que você está se munindo de informações e que sabe o que quer.

Quem não chora, não mama: ainda que você esteja em boa fase financeira, deixar de lado a negociação não é uma opção inteligente. Lembre-se que mesmo os veículos novos oferecem margem para descontos, portanto barganhar e questionar o preço pode, sim, render alguma economia para seu bolso. Grande parte das lojas já prevê um abatimento de, no mínimo, 5% sobre o valor sugerido, porém, o mesmo só é concedido aos clientes que insistem em melhores condições. Às vezes, deixar de pechinchar pode representar a perda de um desconto de até 10%.

Na dúvida, desconfie: vendedores são treinados para lançar mão de técnicas de venda, enquanto o consumidor normalmente desconhece as regras básicas de compra. Por isso, ainda que soe um pouco exagerado, é conveniente ter bastante senso crítico com relação aos argumentos do vendedor. Artifícios para acelerar a decisão de compra – ou seja, incutir um senso de urgência no cliente – como afirmações do tipo ‘este é o último veículo do estoque’; ‘temos outro interessado’; ou, ainda, ‘este desconto só é válido até hoje’, são táticas muito utilizadas. Não se esqueça de que promoções de automóveis são absolutamente comuns e recorrentes, portanto, ainda que você perca uma boa oferta hoje, amanhã haverá outra tão tentadora quanto.

Seja racional: ainda que você esteja animadíssimo com a ideia de comprar seu carro, procure não deixar a emoção falar mais alto antes de fechar negócio. Quanto menor interesse você demonstrar, maior a probabilidade de o vendedor oferecer outras vantagens. E, por fim, lembre-se que o gerente terá sempre maior autonomia para dar descontos ou negociar benefícios. Solicite sua presença caso o vendedor não consiga chegar às condições que você esperava.

Compare ofertas: caso a modalidade de aquisição que você tenha escolhido seja o consórcio automotivo, antes de fechar negócio você tem a chance de conhecer os melhores planos e ofertas do mercado. Faça uma compra inteligente: antes de escolher, compare.

Leia mais
Consórcio Imobiliário

Consórcio também é opção para compra de imóveis

Muita gente pensa que consórcio é uma opção de compra exclusiva para automóveis. Hoje, no entanto, esse tradicional sistema de comércio se estende também a outros produtos, sendo o mais popular deles, depois do automotivo, o consórcio imobiliário.

A comercialização de imóveis através do sistema de consórcio vem se consolidando nos últimos anos como a melhor opção para quem deseja comprar um imóvel novo ou usado ou para realizar reformas ou construções em imóvel próprio.

De acordo com a nova lei dos consórcios de 2009, quando contemplado, o consorciado também pode adquirir um imóvel vinculado a empreendimento imobiliário, desde que ofereça outro como garantia e respeite as demais condições descritas no contrato de adesão.

Como funciona: ao adquirir uma cota de consórcio imobiliário, você ingressa em um grupo formado por pessoas físicas ou jurídicas com o objetivo de levantar uma poupança destinada à compra – no caso, de imóveis – por meio de autofinanciamento.
Mensalmente, todos os integrantes do grupo concorrem aos sorteios para a contemplação. Os consorciados também podem oferecer lances com recursos próprios ou lance embutido, em que se utiliza até 25% do valor do crédito para liberação da carta de crédito. O FGTS também é uma possibilidade para ofertar lances ou complementar o valor da carta de crédito para adquirir o imóvel desejado. Detalhes da transação podem ser esclarecidos através das normas do SFH (Sistema Financeiro da Habitação).

Atenção ao contrato: para adquirir uma cota de consórcio imobiliário, o cliente deve assinar um contrato de adesão, onde estarão estabelecidas regras como valor do crédito contratado e das prestações, prazo, reajuste, condições de contemplação, taxas, direitos e obrigações do consorciado e da administradora, entre outros. É importante que o consumidor leia tudo com muita atenção para evitar surpresas.

No ato da contemplação o consorciado receberá uma carta de crédito, que pode ser utilizada na aquisição de qualquer tipo de imóvel, novo ou usado, residencial ou comercial, para a reforma ou construção em terreno de sua propriedade, em qualquer localidade. Também é permitido que se utilize o crédito para quitar o financiamento em nome do próprio consorciado.

Antes de contratar seu plano de consórcio imobiliário, compare os planos e ofertas que o mercado oferece e faça uma escolha inteligente. No ComparaOnline você compara e economiza sem sair de casa!

Leia mais
Consórcio Imobiliário

10 vantagens de adquirir um imóvel por consórcio

O consórcio imobiliário é a maneira mais econômica para compra de imóvel novo ou usado e vem se tornando uma alternativa cada vez mais popular entre os consumidores.

Por ser uma opção de crédito sem cobrança de juros, o comprador é quem define o valor do imóvel que planeja adquirir e divide o plano em até 180 meses. Veja abaixo as principais vantagens de realizar o sonho da casa própria através da compra de um imóvel pelo sistema de consórcio imobiliário.

1 – O valor não apresenta incisão de juros, não exige entrada ou parcelas intermediárias.

2 – As taxas administrativas são mais baixas do que as de outros sistemas de financiamento e os processos são mais simples, ou seja, menos burocracia.

3 – Não é exigido avalista ou comprovação de renda para aquisição de cota.

4 – Há uma ampla gama de opções de crédito. Por isso, a probabilidade de o consumidor encontrar um plano que caiba no seu bolso é real.

5 – Os valores das cartas de crédito sempre acompanham o reajuste das parcelas sem interferir no seu poder de compra.

6 – Com a carta de crédito em mãos, o consumidor tem a liberdade de adquirir seu imóvel – seja ele novo ou usado – em qualquer lugar do Brasil.

7 – A segurança do modelo de negócio é garantida, pois o o sistema é monitorado pelo Banco Central do Brasil.

8 – A carta de crédito contemplada pode ser utilizada pelo consorciado na compra de imóveis residenciais ou comerciais, para a reforma ou construção em terreno de sua propriedade ou, ainda, para quitar o financiamento em nome do próprio consorciado.

9 – O FGTS pode ser utilizado para dar lances ou complementar o valor da carta de crédito.

10 – Com a carta de crédito contemplada é possível também quitar a dívida de algum outro imóvel financiado anteriormente.

Antes de escolher seu consórcio imobiliário, compare as ofertas e planos disponíveis no mercado. Acesse ComparaOnline, é grátis!

 

Leia mais
Cartão de Crédito

Use seu cartão de crédito para acumular milhas

Conseguir descontos consideráveis – ou mesmo não gastar nada – em passagens aéreas, hotéis e aluguel de carros é o sonho de qualquer pessoa que aprecie viajar. Hoje, graças aos diversos programas de  milhagens, isto já é possível e, para muitos, estudar táticas para acumular milhas tornou-se um hobby cuja recompensa vale a pena.

Com um pouco de disciplina e atenção a algumas dicas básicas você também poderá ficar craque na técnica de acumular milhas.

Já ouviu falar no velho ditado “de grão em grão a galinha enche o papo?”. A máxima serve para este caso. Use o seu cartão de crédito para tudo, mesmo quando o valor da compra seja baixo. A razão é muito simples: quanto mais você usar, mais milhas irá ganhar.

Lembre-se que a conversão de gastos em pontos pode variar de um cartão para outro. De maneira geral, nos cartões Internacional e Gold, 1 dólar gasto equivale a 1 milha; no Platinum, 1,5 milhas ou mais e no nível Black e Infinite a conversão pode chegar a até 2,2 milhas por dólar gasto. Esta é uma média e depende da instituição financeira, por isso procure se informar a respeito antes de optar por um cartão de crédito.

Viaje sempre pela mesma companhia ou por empresas pertencentes à mesma aliança aérea, ou seja, que permitem que você acumule milhas no seu programa de fidelidade principal. Evite acumular milhas em programas de fidelidade diferentes, já que não é possível transferir esses pontos entre os programas.

Pague suas contas com o cartão de crédito e ganhe pontos. Isso mesmo: ao invés de pagar através de sua conta corrente, você efetua o pagamento com seu cartão. Este sistema chama-se Pague Contas e permite o acúmulo de muitas milhas, porém é cobrada uma média de R$ 16 pelo serviço, portanto deve ser utilizado para contas de valores mais altos.

Ainda não tem um cartão de crédito com programa de milhagens? CompareOnline te ajuda a encontrar as melhores ofertas e anuidades dos principais cartões de crédito! Acesse e confira!

Leia mais
Seguro Viagem

Conselhos para dirigir um carro alugado no exterior

Conhecer outro país é uma  experiência inesquecível. Viajar de carro e explorar terras desconhecidas com um roteiro à sua maneira e no seu ritmo pode fazer com que ela seja ainda melhor.

Se sua intenção é alugar um carro no exterior e se aventurar numa road trip, previna-se de passar apuros seguindo algumas recomendações simples. Mariana Rosales, da Aerocondor, aponta que a primeira providência é obter a Carteira de Habilitação Internacional, emitida pelo Detran mediante o pagamento de uma taxa. Sabe-se que em alguns países da América do Sul e Estados Unidos a apresentação deste documento não é obrigatória, porém, ainda assim, recomendável.

A idade do condutor também deve ser levada em conta, já que a exigência mínima para dirigir pode variar de um país ou estado para outro e, até, de acordo com o grupo de veículo. Em alguns locais a idade mínima necessária pode ser de 25 anos. Passageiros também podem conduzir o veículo alugado, desde que seja paga uma taxa especial e que a pessoa atenda aos requisitos exigidos.

Como saber se estou pagando um preço justo?

Os valores cobrados pela locação de carros no exterior podem variar consideravelmente e dependem da própria locadora, do período de locação e da sazonalidade. Altas temporadas costumam ter preços mais altos, porém oferecem maior quantidade de pacotes e promoções. Nos Estados Unidos – especialmente na Flórida, onde grande parte dos turistas recorre à locação de veículo para se locomover – as taxas são menores que nos países europeus. Entre os países da Europa, Espanha e Itália praticam valores mais baixos que a Alemanha, por exemplo.

E se você for multado, como proceder?

Não é só no Brasil que as multas podem virar uma dor de cabeça para motoristas. Para evitar surpresas desagradáveis, informe-se sobre as principais regras de trânsito do seu destino e atente-se, principalmente, ao que difere do que você está habituado. Blogs de viajantes costumam ter informações preciosas. Lembre-se que as multas são enviadas para o endereço do locatário no Brasil ou cobradas diretamente no cartão de crédito disponibilizado no momento da locação.

O que fazer em caso de acidente?

É claro que ninguém gosta sequer de imaginar que algo de desagradável possa ocorrer durante uma viagem, porém, a melhor forma de lidar com imprevistos é proteger-se. Com relação aos sinistros que podem ocorrer, a maioria das tarifas que se paga no momento da locação do veículo já inclui seguro contra roubo, danos e colisão. Além destas, o passageiro pode contratar outros tipos de seguro de viagem. Algumas empresas, especialmente na Europa, cobram franquia.

Um seguro viagem é a ferramenta de maior garantia para se proteger contra imprevistos com toda a tranquilidade e cobrir urgências a baixo custo. Funciona de forma imediata, 24 horas por dia e independente da distância. Encontre aqui ofertas de seguro viagem e receba resultados instantâneos.

Leia mais
Seguro Viagem

Governo estimula brasileiros com mais de 60 anos a viajar

O Ministério de Turismo lançou a segunda edição do programa “Viaja Mais Melhor Idade” como incentivo aos idosos que desejam conhecer novos destinos.

Com o objetivo de movimentar o mercado brasileiro de turismo, especialmente nos períodos de baixa temporada, o programa vai oferecer oportunidades de viagem a um público cada vez mais numeroso, revelou o ministro do Turismo, Gastão Vieira. Para isso, serão oferecidos descontos e serviços exclusivos em pacotes turísticos para pessoas acima de 60 anos.

Alguns pacotes oferecidos no programa incluem passagem aérea, refeições e hospedagem; outros apenas passeios avulsos ou alguma vantagem específica. As opções são tão variadas que incluem até cruzeiros pelos rios da maior floresta tropical do país, com direito a safári fotográfico, um passeio de contemplação de botos e visita a um povoado indígena.

O projeto foi lançado pela primeira vez em 2007 e esteve vigente até dezembro de 2010, com um total de 599 mil pacotes de viagem vendidos no período. Com a retomada do projeto, o Governo quer incluir no programa novas agências de viagem, receptivos locais, parques temáticos, companhias aéreas, meios de hospedagem e locadoras de veículos.

Cuidados

Apesar dos inúmeros benefícios que a atividade turística pode gerar é recomendado que durante a viagem sejam tomados os mesmos cuidados em relação à saúde. O alerta é da geriatra da Escola Paulista de Medicina da Unifesp, Cybelle Diniz: “Primeiro, o idoso não pode sair de férias dos remédios, tem que manter a medicação mesmo mudando a rotina. Segundo, se ele tem cuidados alimentares prescritos, não pode exagerar enquanto estiver no passeio”, finalizou.

Além dos cuidados com a saúde, é fundamental contratar um seguro viagem para estar protegido contra imprevistos. Acesse ComparaOnline e compare ofertas de seguro viagem de forma gratuita e sem sair de casa!

Leia mais
Seguro Auto

Seguro de responsabilidade civil facultativa

Considerando o atual planejamento de tráfego que prioriza os veículos e o significativo aumento da ocorrência de acidentes nas grandes cidades, a contratação de um Seguro de Responsabilidade Civil Facultativa (RCF-V) pode ser de grande valia para a proteção de pessoas físicas e jurídicas. De acordo com a SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), este seguro visa reembolsar – até o limite determinado na apólice – ao segurado a indenização à qual esteja obrigado, judicial ou extrajudicialmente, a pagar em conseqüência de danos materiais, corporais e/ou morais involuntários causados a terceiros no trânsito. Entre as coberturas básicas estão assistência 24 horas com serviços de socorro elétrico e reboque do veículo assistido com limites de quilometragem pré-definidos.

Direcionado para automóveis, caminhões e vans escolares, todos os seguros do tipo RCF-V são de contratação facultativa. Além de minimizar perdas, este seguro pode evitar casos de falência financeira causada por acidentes graves, já que em grande parte das empresas o patrimônio corporativo não está juridicamente separado do pessoal. O RCF-V complementa o valor de eventual indenização paga pelo seguro obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) por danos corporais causados a outras pessoas.

A cobertura de RCF-V pode ser adquirida separadamente ou em conjunto com as coberturas básicas e adicionais do automóvel. Caso essa cobertura seja contratada isoladamente, estará sujeita à vistoria prévia da seguradora.

Quer encontrar as melhores ofertas de seguro de carro do mercado? Com ComparaOnline você economiza tempo e dinheiro. Faça sua cotação aqui, é grátis!

 

Leia mais
Cartão de Crédito

10 dicas na hora de usar o cartão de crédito

cartao de credito

Não pedir cartões adicionais, evitar o pagamento mínimo e ficar de olho na fatura são algumas atitudes importantes para não fazer do seu cartão de crédito uma fonte de dívidas.

É verdade que em algumas situações um cartão de crédito nas mãos pode ser um empurrão para o endividamento. Por outro lado, se bem utilizado, pode trazer muitas vantagens e benefícios para os consumidores.

Confira abaixo 10 dicas elaboradas pelo consultor financeiro Gustavo Cerbasi para lidar da melhor forma com seu cartão de crédito:

1 – Ao contratar um cartão

Escolha uma data de vencimento do cartão próxima do dia de seu pagamento para que você possa se planejar.

2 – Milhagens e descontos

Caso seus gastos no cartão sejam altos, opte por aqueles que oferecem benefícios como milhagens ou descontos.

3 – Fuja dos cartões adicionais

Muita gente não sabe, mas as vantagens para o cliente são maiores quando as compras são realizadas num único cartão.

4 – Negocie as taxas de anuidade

Muitas vezes é possível barganhar com a administradora as taxas de anuidades, especialmente se o cartão de crédito não está vinculado a programas de bônus ou milhagens.

5 – Viagens ao exterior

Observe se a bandeira do seu cartão é bem aceita nos destinos internacionais para onde você viaja ou pretende viajar.

6 – Não seja refém dos juros

A melhor forma de evitar o endividamento ao utilizar um cartão de crédito é realizar o pagamento integral das parcelas. Caso seja realmente necessário, compare as taxas de juros do cartão e de um empréstimo pessoal e opte pelas mais baixas.

7 – Atenção às compras parceladas

Fique de olho ao realizar compras parceladas. Alguns estabelecimentos incluem os juros nas parcelas sem o consentimento do consumidor. Verifique sempre.

8 – Organize seus gastos

Procure manter o controle do saldo de seu cartão de crédito fazendo consultas periódicas à fatura, seja online ou por telefone.

9 – Compras online

Tratando-se de compras pela Internet, todo cuidado é pouco. Jamais realize compras em sites de empresas pouco conhecidas ou sem certificado de segurança.

10 – Evite saques

Usar o cartão de crédito para realizar saques em dinheiro não é aconselhável, especialmente para quantias baixas, quando os juros e a tarifa podem superar o valor do saque.

Lembre-se que comparar as condições e vantagens de cartões de crédito disponíveis no mercado é a melhor forma de fazer uma compra inteligente. Cote, compare e economize com ComparaOnline. É grátis!

 

Leia mais
Consórcio Automotivo

Como comprar um carro sem entrada?

comprar carro novo

Você quer comprar um carro mas não conseguiu poupar dinheiro para a entrada? A gente te explica que comprar carro sem entrada é possível, mas tem suas vantagens e desvantagens.

Leia mais
1 106 107 108 109

Banner Seguro Auto