Seguro Auto

Seguro obrigatório

dpvat seguro carro

O Seguro obrigatório por Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre, conhecido como DPVAT, é uma taxa obrigatória paga junto com a primeira parcela do IPVA, sendo requisito necessário para liberar o licenciamento do veículo. Trata-se de um seguro carro, criado em 1974, com o objetivo de oferecer apoio financeiro às vítimas de acidentes causados por automóveis no Brasil.

O benefício é pago a todos os tipos de vítimas, sejam motoristas ou não. Por exemplo, se um ciclista é atropelado por um ônibus, esse pode solicitar uma indenização junto a uma das seguradoras que atuam no mercado de seguros para receber o ressarcimento de despesas médicas ou uma indenização em caso de invalidez ou morte – neste caso o beneficiário da vítima.

A liberação do DPVAT não depende de apuração ou julgamento para definir os culpados pelo ocorrido. A indenização é paga a cada vítima, sempre de acordo com o seu caso em específico.

Pagamento em dia

O condutor que atrasar o pagamento do seguro obrigatório não poderá licenciar o seu veículo, o que lhe impede de circular segundo os critérios legais. Caso aconteça um acidente com vítimas, o motorista que não estiver com o DPVAT em dia não terá direito à cobertura do seguro carro, e – caso seja considerado culpado – terá que ressarcir o valor da indenização.

Ressarcimento e indenização

Apesar de oferecer um amparo fundamental às vítimas, o DPVAT tem uma cobertura reduzida. Em caso de morte ou invalidez o valor pago não ultrapassa a R$13.5 mil, e nos casos de indenizações para custear despesas médicas, o valor máximo pago pode chegar até R$2.7 mil. Por essa razão, a maioria dos motoristas prefere ampliar a proteção contratando um seguro externo com cobertura para terceiros.

As operadoras de seguro carro oferecem em seus contratos a opção de fazer um seguro de Responsabilidade Civil Facultativa (RCF), que cobre indenizações e custos com serviços médicos, caso o cliente seja considerado culpado por um acidente com vítimas.

A ampliação do seguro carro é considerada a melhor maneira de dirigir sem preocupações, já que não é possível prever um acidente. Para conhecer planos e ofertas de seguro carro sem sair de casa, acesse ComparaOnline.

Leia mais
Seguro Auto

Os gastos existentes ao possuir um automóvel

gastos com carro

Além dos gastos com combustível e a parcela mensal do financiamento, existem outras despesas que muitas vezes passam despercebidas na hora de comprar um automóvel.

Para não ter surpresas que comprometam o orçamento no futuro, é bom conhecer a fundo os gastos existentes ao possuir um automóvel e, assim, escolher um modelo que caiba no bolso. Veja algumas destas despesas e programe-se:

IPVA

O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) é cobrado pelo governo estadual e deve ser pago uma vez ao ano. Vale lembrar que a alíquota do imposto varia de acordo com o modelo do veículo e com o estado onde está registrado.

DPVAT – Seguro Obrigatório

O DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre) é dedicado ao amparo das vítimas de acidentes de trânsito, e qualquer pessoa pode requerer a indenização. O seguro DPVAT deve ser pago juntamente com o IPVA, uma vez ao ano. O valor não é alto, mas precisa ser contabilizado no orçamento.

Licenciamento

O licenciamento de veículos é destinado ao DENATRAN (Departamento Nacional de Trânsito) e serve para atestar – após revisões e testes agendados – que o veículo tem condições de circular nas vias terrestres. O valor do licenciamento é variável de acordo com cada estado e seu pagamento também é anual. Para licenciar o carro, é preciso estar com os outros encargos em dia, como: IPVA, DPVAT e multas quitadas.

Seguro carro

Para calcular o valor do seguro é preciso levar em conta todas as variáveis: idade e sexo do condutor, região onde o carro pernoita, se possui garagem ou não, se é utilizado para trabalho ou lazer, dentre outras. Outro fator determinante para o cálculo do seguro carro é o ano e o modelo do veículo, pois, embora muitos não saibam, carros mais antigos costumam ter um valor de seguro mais alto, de acordo com a dificuldade em encontrar peças de reposição no mercado. 

Para planejar esse tipo de despesa indispensável para a tranquilidade do proprietário, a melhor opção é fazer uma simulação. Em alguns casos, a diferença do valor do seguro carro pode variar em até 80% de uma empresa para outra.

Combustível

Os veículos mais econômicos em termos de consumo de combustível são os que possuem motor 1.0. Um carro movido à gasolina, considerado de baixo consumo, chega a 15 km por litro na estrada e 9 km por litro na cidade. Para se programar para esse gasto, vale a pena pesquisar qual é o consumo médio do veículo e calcular a despesa mensal já que nem todos os modelos consumem da mesma forma. 

Estacionamento

Mesmo que se possa contar com estacionamento em casa e no trabalho, as idas ao shopping, clínicas, restaurantes ou centros comerciais podem fazer com que este custo seja elevado. Nas maiores cidades do país, o custo mensal com estacionamento pode ultrapassar o valor de um salário mínimo.

Manutenção

É preciso contabilizar os gastos regulares com troca de óleo e filtros, revisões, balanceamento, geometria, troca de pneus, alinhamento de direção e outros. Esses gastos variam bastante de um fornecedor para outro, o que torna a pesquisa de preços e qualidade dos serviços fundamentais. Outra despesa que passa despercebida é a lavagem do carro, que varia de acordo com o tamanho do veículo, o tipo de lavagem e o prestador do serviço.

Despesas eventuais

Ter reservas para os gastos eventuais, como a franquia do  seguro carro, a troca ou conserto de alguma peça, pedágios e multas é fundamental. Por mais difícil que seja determinar estes valores, vale a pena contar com reservas no orçamento para resolver qualquer eventualidade.

Faça uma simulação seguro auto online para descobrir o valor do seu seguro automóvel antes de fechar negócio e conte com quem mais entende do assunto.

 

Leia mais
Seguro Auto

O que fazer ao renovar o seguro de automóvel?

renovar seguro auto

Antes de contratar ou renovar um seguro carro, o proprietário do automóvel deve prestar atenção em muitos detalhes, principalmente sobre o conteúdo dos contratos das apólices, bem como o cálculo de seus valores finais. Afinal, dependendo das informações repassadas às corretoras de seguros, os valores e condições podem ser notoriamente modificados.

Selecionamos neste post algumas dicas de como renovar o seguro carro. São informações sobre validade das apólices, custos e bonificações. Confira e entenda como funcionam as transações de renovação, além de saber como manter todas as bonificações oferecidas pelas apólices, mesmo após a sua renovação.

Vencimento da apólice: atente-se sobre a data de validade da sua apólice do seguro carro. Nunca deixe para realizar a renovação do seguro próximo à data do vencimento, pois, nestes casos, corre-se o risco de ser necessária uma nova vistoria, e até que ela seja feita o seu automóvel por ficar sem cobertura.

Alteração nos dados dos condutores/perfis de utilização: ao se renovar a apólice, todas as alterações referentes aos perfis dos condutores ou meios de utilização devem ser informadas (adição de condutores recém-habilitados e suas respectivas idades, local onde o automóvel é guardado durante a noite, bairro onde o segurado reside, etc). Vale frisar que tais informações influenciam diretamente no valor final da apólice.

Aproveitamento do sistema de bonificações: dependendo da seguradora de automóvel utilizada, o segurado obtém um sistema de bonificações e descontos – calculados em forma de pontos – que vão de 5% a 40%. Tais pontos são direcionados aos segurados, em caso da não ocorrência de sinistros durante a validade da apólice de seguro. Entretanto, saiba que algumas seguradoras zeram esta bonificação durante os processos de renovação. Por isso, antes de renovar o seguro do automóvel é importante consultar a seguradora/corretor a respeito destas informações.

Uma informação que deve permanecer clara é que existe um prazo pré-estabelecido para a renovação do seguro carro: após o vencimento da apólice, o segurado tem até 30 dias para efetivar a renovação, mantendo todos os bônus adquiridos anteriormente. Entretanto, é recomendado não utilizar o automóvel neste meio tempo, a fim de manter todas as facilidades e bonificações presentes na apólice passada!

Vai fazer seu primeiro seguro carro ou pretende mudar de plano? Acesse ComparaOnline e confira as melhores ofertas do mercado sem sair de casa.

 

Leia mais
Seguro Auto

O que evitar para receber a indenização

indenização do carro

São muitas as dúvidas quando o assunto gira em torno do seguro carro. Uma delas é a que diz respeito ao que evitar para receber – sem complicações – a indenização por parte da seguradora. Por esse motivo, listamos alguns itens importantes que requerem muita atenção e devem ser levados em conta pelos segurados.

O carro está com pagamentos em atraso

Caso o veículo seja furtado ou roubado antes do seguro carro ser quitado e tenha algum imposto e multa não paga, o valor dessa pendência será descontado pela seguradora na indenização. Porém, no caso de problemas com a documentação, pode ser exigido pela seguradora a regularização dos documentos antes de efetuar o pagamento.

Informações desatualizadas

É preciso ter muita atenção com todos os detalhes, principalmente, quando o motorista renova automaticamente sua apólice e acaba não atualizando seu cadastro. Caso haja roubo e o segurado não esteja com as informações corretas, há grandes chances da seguradora recusar a indenização. Por exemplo, caso o endereço em que o veículo pernoita tenha mudado, você terá que informar o mais breve possível para não dar margem a problemas com o seu seguro carro.

Veículo conduzido por motorista embriagado

Essa é uma questão recorrente e passa a se tratar de um caso legal. A seguradora irá tirar provas – de acordo com os testes de embriaguez feitos logo após o acidente – que podem ser obtidas pelo teste do bafômetro, ou, caso o motorista se recuse a fazê-lo, o policial irá analisar a aparência do condutor, avaliando se está ou não embriagado. Caso a seguradora se recuse a pagar por suspeita de embriaguez – mesmo sem provas concretas – o segurado pode objetar judicialmente.

Fraude no formulário

É comum pessoas preencherem no formulário que o endereço de pernoite do seu carro é o da casa do campo, frequentada apenas no final de semana, por exemplo. Esse tipo de ação é muito comum principalmente com segurados que moram em bairros onde a incidência de roubos é grande. Dessa forma, colocando o endereço de uma cidade onde o índice de roubos é menor, o seguro carro sairá mais barato. Porém, é uma prática caracterizada como fraude e a seguradora pode não pagar a indenização – por motivos óbvios.

Acidente com o carro emprestado

Aparentemente não há mal algum em emprestar o carro a um amigo ou namorada. Entretanto, isso pode acabar sendo um problema caso haja algum acidente. A seguradora pagará os danos se o condutor (neste caso amigo ou namorada) for maior de 18 anos, tiver habilitação válida, não estiver embriagado e usar o carro apenas eventualmente. Se algum desses itens não se cumprem, o pagamento da indenização será recusado. 

Antes de escolher seu seguro carro, compare ofertas e planos em ComparaOnline.

Leia mais
Seguro Auto

O que é perda total do veículo?

perda total carro

A pergunta parece simples, mas talvez nem todo mundo saiba responder quando o assunto é o famoso e temido PT. Para evitar surpresas indesejadas e estar por dentro de todos os seus direitos, é importante saber quando o automóvel sofreu perda total e quais os critérios de indenização de cada seguro carro

Neste sentido, existem dois casos que costumam causar surpresa para quem possui um seguro carro. O primeiro acontece quando – após uma colisão – o veículo é danificado, mas aparentemente nada grave aconteceu e a seguradora considera perda total, mesmo que o segurado considere que os danos foram apenas parciais. O segundo caso acontece quando o segurado considera que o veículo está destruído, mas a seguradora não considera perda total. Nos dois casos, a surpresa se deve pela falta de conhecimento sobre os critérios que a seguradora possui para classificar um PT ou não.

Critérios

De forma geral, a seguradora considera perda total quando o veículo está – no mínimo –  75% danificado. Essa porcentagem é calculada através da Tabela Fipe, que oferece uma referência sobre o valor do carro no mercado atual. Em outras palavras, para ser considerada perda total, o valor da reparação do veículo (com o custo das peças) deve ser superior a 75% do seu preço de mercado.

Em caso de perda total, o segurado recebe o valor total do carro segundo a Tabela Fipe, mas existem exceções. Em alguns casos, o seguro carro pode oferecer um valor maior ao de mercado como indenização ao segurado, ou mesmo pagar o valor do veículo mais os gastos das despesas para recuperá-lo.

Referente aos danos parciais, a seguradora pode cobrir os custos apenas quando o valor da recuperação for maior que o valor da franquia. Nesse caso, o cliente paga a franquia e a seguradora paga o restante.

E por último, se o carro for roubado, a seguradora não considerada perda total. Entretanto, o seguro carro oferece indenização integral!

Por esto, antes de escolher seu seguro carro, compare ofertas e planos em ComparaOnline.

Leia mais
Seguro Auto

O que cobre um seguro de automóvel?

coberturas seguro carro

Existem várias opções de seguros de automóvel e a opção mais indicada é a que cobre danos ao veículo e a terceiros, ou seja, que reembolse despesas causadas por colisões, furtos e acidentes com vítimas.

O Brasil possui uma alta taxa de incidência de roubos e furtos de veículos, além de acidentes, muitos deles envolvendo feridos e até mortes. Portanto, é fundamental investir em um bom seguro carro como medida de proteção para você e para o seu automóvel.

Além de dirigir sempre de maneira consciente, vale a pena instalar equipamentos de proteção – como travas elétricas – e sempre estacionar o carro em locais seguros. Contar com uma garagem em casa também ajuda, e você poderá pagar menos pelo seu seguro carro.

As coberturas básicas contemplam danos ao carro em si, ou seja, avarias à carroceria, motor, chassi e caixa, e, por isso, o mais indicado é contratar a cobertura compreensiva ou total, que compensa despesas causadas por colisão, incêndio e roubo. Outro item importante de seu contrato deve ser o Seguro de Responsabilidade Civil Facultativa (RCF), que consta na maioria dos seguros e cobre em caso de acidentes com vítimas. Dessa forma, você poderá receber o reembolso se for necessário pagar despesas médicas e indenizações.

Danos ao veículo causados por desastres naturais, como: enchentes, granizo, temporais, quedas de árvore, entre outros, também podem ser cobertos pelo seguro carro.

Viagem de carro pela América do Sul

Quem quiser cobertura em outros países pode solicitar ao seu corretor a inclusão desse item pagando uma taxa extra. O mais comum nesses casos é a extensão de perímetro do seguro para os países da América Latina que oferece cobertura no caso de sinistros (acidentes, furtos, incêndios, etc.) em países da região, como, por exemplo, Argentina, Paraguai e Chile.

Converse com o seu corretor de seguros para saber qual a melhor opção para você e para o seu orçamento. Com um bom seguro carro você terá mais tranquilidade para aproveitar seu automóvel, pois contará com o apoio da seguradora se houver algum imprevisto.

Para pesquisar as melhores ofertas do mercado e fazer uma escolha inteligente, acesse ComparaOnline.

Leia mais
Seguro Auto

Mitos e verdades sobre seguro de automóveis

mitos verdades carros

Na hora de contratar um seguro carro surgem algumas dúvidas comuns e algumas vezes as respostas podem ser mitos criados em conversas informais com amigos.

Por esta razão, ComparaOnline reuniu alguns mitos e verdades sobre seguro de automóveis para ajudá-lo a encontrar às melhores oportunidades do mercado.

Carro antigo paga mais caro pelo seguro

Verdade. O ano do carro afeta o valor do seguro carro justamente porque quanto mais antigo for o veículo, mais difícil é encontrar peças de reposição e isso encarece possíveis reparos. O motivo disso se deve a que quando o veículo sai de linha, a montadora – passado alguns meses – deixa de fornecer tais peças. Daí a recomendação para que, se possível, a troca de carro seja feita a cada 5 anos.

Rastreadores e bloqueadores reduzem o preço do seguro

Verdade. Os bloqueadores impedem que o veículo siga longos percursos no caso de roubo ou furto e isso ajuda a recupará-lo com facilidade. Por essa razão, ter um rastreador instalado no carro faz com que o seguro seja mais barato.

Já as travas de segurança dificultam o roubo do veículo, mas não o impedem. Por isso, carro com travas não possuem  os mesmos descontos no seguro como um carro com rastreador.

Mulheres pagam menos

Verdade. Segundo as estatísticas do DENATRAN, as mulheres são responsáveis por apenas 29% dos casos de acidentes envolvendo veículos. Esse dado é o responsável a que as mulheres paguem até 12% menos do que os homens quando o assunto é seguro carro.

Carro na garagem paga mais barato

Verdade. Carros que não têm garagem e ficam estacionados na rua são mais passíveis de furto ou roubo, por isso pagam mais caro na hora de contratar um seguro carro.

O local interfere no preço

Verdade. As estatísticas de roubos, furtos e acidentes de uma cidade ou bairro interferem – sim –  no preço do seguro carro.

Bens deixados no interior do carro estão cobertos

Mito. Esse é um mito que algumas vezes confunde as conversas informais sobre seguros. Caso o veículo seja arrombado (mas não roubado) e alguns itens pessoais sejam furtados – tais como notebooks, bolsas, câmeras, celulares, etc. – estes bens não são cobertos pelo seguro de automóvel.

Catástrofes naturais não têm cobertura

Mito. Eis outro mito, considerando que há coberturas mais completas que podem oferecer seguro contra enchentes, raios, granizo, vendavais, terremotos, ressacas e outros. Dependendo da região onde se viva, vale a pena ficar atento e solicitar também este tipo de cobertura.

Documentação atrasada impede a renovação do seguro

Verdade. E isso não só para a renovação, mas para a primeira contratação também. É preciso que todos os impostos e documentos do veículo estejam em dia e isto inclui: IPVA, DPVAT e taxa de licenciamento.

Essas e outras diferenças fazem com que veículos do mesmo ano e modelo paguem valores diferentes quando se trata de seguro carro. Outra informação importante é que o veículo perde a proteção quando deixa de pagar o seguro. Uma parcela em atraso pode fazer com que o prazo da apólice seja reduzido. Para não correr este risco é importante ficar atento aos vencimentos.

Aproveite as dicas e escolha o seguro mais adequado para o seu veículo. Contrate online com quem mais entende do assunto.

 

Leia mais
Seguro Auto

Glossário de seguros de carros

glossario seguro carro

Em um contrato de seguro de automóvel são tantas as palavras novas – e que aparentemente não têm relação uma com a outra –  que é fácil ficar um pouco perdido.

Para facilitar sua compreensão, listamos algumas das principais expressões usadas durante a contratação de um seguro carro. Confira:

— Sinistro: uma das palavras que você mais ouvirá do seu corretor de seguros. Ela se refere a qualquer dano ao veículo, como colisões, furtos, roubo, perda total causada por acidentes ou desastres naturais, e outras ocorrências que danifiquem o automóvel, com ou sem vítimas.

— Apólice: nada mais é que o seu contrato com a seguradora, documento importantíssimo onde constam todas as informações sobre a cobertura do seu seguro carro, e o que está ou não incluindo no valor do prêmio.

— Prêmio: é o valor que você paga à empresa seguradora para ter o seguro carro. Trata-se de um valor que lhe garante cobertura em caso de danos ao seu automóvel. A empresa se responsabiliza pelos custos, desde que você pague em dia o prêmio do seguro. O segurado também precisa pagar uma franquia em caso de algum acidente, compartilhando a responsabilidade com a seguradora.

— Franquia: é o valor que o segurado, no caso, a pessoa que fez o seguro, paga à seguradora no caso de um sinistro, como um acidente de trânsito. Geralmente trata-se de um valor bem menor que o prejuízo total. A seguradora só pagará por prejuízos maiores que o da franquia e só não é exigido o seu pagamento no caso de danos causados por raios, incêndio ou explosão acidental.

— Perda total ou PT: expressão bastante comum, a perda total se refere a situações em que o veículo foi tão danificado que não tem condições de voltar a ser usado. Quando os prejuízos somam mais de 75% do valor total do veículo, é considerado “perda total”.

— Bônus: é um desconto que o segurado, ou pessoa que fez o seguro carro, ganha caso não tenha utilizado o seguro pelo período de um ano, ou seja, se durante um ano o segurado não se envolver em acidentes ou outras situações em que seja necessário acionar a seguradora, é concedido um desconto no valor do seu prêmio.

Leia mais
Seguro Auto

Economize dinheiro: contrate seu seguro por internet

seguro mais barato

Qualquer pessoa que trabalhe para cobrir um alto custo de vida, bem como as despesas de toda a família, deseja certificar-se que as suas decisões são pautadas por garantias de que nada vá dar errado. Assim como o plano de saúde, que cobre despesas médicas, o seguro carro é um assunto de extrema importância para quem dirige um veículo próprio, pois os danos causados por acidentes automobilísticos podem atingir “em cheio” o bolso de cada um.

Para evitar estas despesas não planejadas, o seguro carro deve ser contratado tanto por quem usa um veículo para trabalhar quanto por quem usa para lazer ou para viajar. Apesar de existirem outros tipos de garantias, como o rastreador e o bloqueador veicular, o seguro carro é a única alternativa que está relacionada à vida de um motorista. O valor das mensalidades é baixo diante das consequências que um acidente de carro pode causar. Ademais, o preço do seguro pode ser ainda mais baixo quando contratado por internet, onde é possível escolher planos de acordo a cada perfil e necessidades.

Ao tomar a decisão de contratar um seguro carro, muitas pessoas se sentem confusas com as propostas das corretoras e acabam desistindo da ideia. Essas propostas geralmente incluem altos custos mensais e serviços que não se encaixam nas necessidades de alguns motoristas. Então, tanto para economizar quanto para escolher planos personalizados, os seguros via internet oferecem mais vantagens aos consumidores. Além disso, o mundo virtual permite pesquisar e ver a reputação de uma empresa entre os internautas, o que auxilia na tomada de decisão.

As vantagens de uma contratação de seguro carro via internet podem ser percebidas através de algumas facilidades importantes que geram confiança nos consumidores, indo além das garantias ofertadas aos motoristas. Estas não devem ser vistas como diferenciais, já que as garantias definem o serviço de um seguro de carro. Estas vantagens são: comparativo entre várias opções de seguradoras, planos personalizados, leitura de conteúdo informativo sem a presença de um atendente, assinatura do contrato e pagamento através do conforto do lar, informações e serviços 24 horas, preços mais em conta por ausência de comissionamentos e suporte via telefone ou e-mail para os mais cautelosos.

Para comparar ofertas de seguro carro sem sair de casa e com a possibilidade de contratar o serviço com segurança e economia, acesse ComparaOnline.

Leia mais
Seguro Auto

Diferença entre franquias: normal e reduzida

franquias seguro carro

Ter um seguro carro é algo cada vez mais importante já que serve para proteger o segurado contra possíveis acidentes e roubos. Por isso, é natural que haja cada vez mais opções de seguros para contratar e os tipos de serviços e planos variem, criando muitas dúvidas em um cliente inexperiente.

Entre elas, a principal aparece na hora de escolher se será contratado um plano com franquia normal ou reduzida. Mas, para começar: o que é franquia?

Franquia é o nome que se dá à obrigatoriedade que o segurado tem de participar com algum valor em caso de sinistros parciais. Isso é, em casos de acidentes, o cliente sempre deverá pagar uma parte, enquanto a seguradora paga a outra. O quanto cada um paga varia de acordo com o contrato. Se a franquia é alta, o valor do seguro carro é mais econômico e vice-versa.

Com a franquia normal, o cliente acaba por pagar um valor menor no seguro carro. O que acontece é que, em caso de acidentes, será necessário pagar uma quantia maior de franquia. Já com a franquia reduzida o cliente deverá pagar regularmente um valor mais alto, mas em casos de acidentes precisará desembolsar menos.

E como isso funciona na prática?

No cenário em que um seguro carro com franquia normal seja contratado com um valor de R$ 2.000, por exemplo, e em caso de acidente o valor seja totalizado em R$ 6.000, o cliente precisará pagar R$ 2.000 e a seguradora pagará os R$4.000 restantes. Por sua vez, se o contrato for por franquia reduzida, o segurado precisaria pagar R$1.000, a metade do anterior, enquanto a seguradora pagaria os R$5.000 restantes.

É importante sempre fazer uma comparação entre os valores de cada tipo de franquia, para encontrar o melhor custo benefício. Se a diferença entre as duas for pequena, por exemplo, pode ser mais vantajoso aderir à franquia reduzida e assim arcar com menores custos em caso de acidentes. Vale lembrar que a franquia pode ser usada apenas em casos de perda parcial. Em casos de perda total e reparação de danos que foram causados a terceiros, o uso da franquia não se aplica.

ComparaOnline te ajuda a comparar todas as ofertas e a encontrar os melhores preços!

 

Leia mais
1 103 104 105 106 107 109